Até o momento a greve não tem previsão para acabar e conta com parecer favorável do desembargador do TRT. Foto: Varlei Cordova/AGORA MT
Os manifestantes saíram do Hospital Regional até chegar a Praça Brasil. Foto: Varlei Cordova/AGORA MT

A Rua Fernando Correia da Costa foi tomada, na manhã desta segunda-feira (08), por enfermeiros que cobram negociação com proprietários dos hospitais. Na última semana a categoria deu início à greve em todo o Estado.

Ivair Souza, delegado da região sul do Sindicato dos profissionais de enfermagem (SINPEN), relata que na sexta-feira (05) estava agendada uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Cuiabá, porém os proprietários dos hospitais não compareceram na tentativa de negociação.

O sindicalista afirma que a ausência dos representantes dos hospitais tornou a paralisação mais forte, pois agora os grevistas contam com o parecer favorável do desembargador do TRT, Edson Bueno de Souza, que deu parecer favorável ao manifesto, com suspensão de 50% nos atendimento e 30% nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Leia também:  Mutirão oferecerá casamento comunitário em Rondonópolis

O delegado do SINPEN observa que em decorrência da greve, considerada legal, muitos servidores tem sofrido perseguições nos locais de trabalho. Na pauta de reivindicações dos enfermeiros está a inclusão de dois dias de folga na jornada de trabalho e reajuste salarial.

Ainda na tarde de hoje os enfermeiros se concentrarão em frente a Santa Casa de Misericórdia. Até o momento a greve não tem previsão para acabar, contudo Ivair afirma que a população não tem sido prejudicada.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.