Edward Snowden, o ex-consultor que trabalhava como funcionário terceirizado para a Inteligência americana e agora é considerado foragido pelo governo dos EUA, ainda não respondeu à oferta de concessão de asilo feita pelo presidente Nicolás Maduro, informou o chanceler da Venezuela, Elías Jaua, nesta terça-feira (9).

“Até agora, ele (Snowden) não ratificou sua intenção de se asilar na Venezuela. A primeira coisa que temos de fazer é esperar por sua vontade e, posteriormente, fazer os contatos com o governo da Federação Russa para poder viabilizar sua saída de Moscou”, disse Jaua.
De acordo com o chanceler, o fato de que Snowden permaneça há duas semanas na zona de trânsito internacional de um aeroporto de Moscou é “uma realidade que limita a possibilidade do asilo de maneira imediata”.

Leia também:  Nobel da Paz, Liu Xiaobo morre nesta manhã na China

Logo que houver uma comunicação com Snowden, acrescentou o ministro, a Venezuela analisará “as condições de segurança, nas quais ele poderá exercer o asilo”.

Ao ser interrogado sobre algum novo contato dos EUA, que havia solicitado a Caracas na semana passada a extradição preventiva de Snowden, Jaua se limitou a afirmar que “o asilo deve ser respeitado por todos” os países, de acordo com a Carta da ONU.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.