De volta ao Flamengo, de volta ao Maracanã. André Santos começou a escrever a história da sua segunda passagem pelo clube neste domingo. No Fla-Flu, acabou escalado fora da lateral esquerda, sua posição de origem, mas funcionou muito bem no meio-campo e teve participação importante na vitória por 3 a 2. Foi destaque. Bem diferente daquele jovem de 23 anos que passou pelo Rubro-Negro entre 2005 e 2006 quase sem ser notado. Em sua 45ª partida vestindo vermelho e preto, ele deu ritmo e equilíbrio ao jogo do Flamengo e mostrou liderança ao orientar os companheiros.

Mano Menezes gostou, André gostou, a torcida gostou. Depois de 82 minutos em campo, o jogador saiu do gramado exausto e aplaudido. Ainda longe da forma física ideal, ele compensou a falta de mobilidade com toques de primeira, dribles e jogo de corpo. Útil ao defender e atacar, deu ao time o que faltava: calma.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

André quase fez o segundo gol dele pelo Flamengo. O primeiro foi sobre a Portuguesa, numa vitória por 4 a 1, na primeira passagem. No Fla-Flu, por pouco não marcou o terceiro do Rubro-Negro. Hernane foi mais rápido e chutou antes do lateral. O que poderia ser gol virou assistência. Ele também iniciou a jogada do gol de Elias. André foi quem mais finalizou no time. Ao todo, cinco tentativas. A melhor delas aos 11 minutos do primeiro tempo. Elias invadiu a área pelo lado direito e cruzou rasteiro e na medida. Marcado, o jogador acabou jogando à esquerda do gol de Diego Cavalieri. Incrédulo, levou as mãos ao rosto. Principal articulador da equipe, sofreu quatro faltas e cometeu uma. Foram apenas dois passes errados.
Foi a primeira vez de André Santos no novo Maracanã. Coincidentemente, a última partida da primeira passagem pelo Rubro-Negro havia sido no antigo estádio e num clássico. Em 25 de fevereiro de 2006, ele participou da vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo, em partida do Campeonato Carioca.
A opção de Mano por escalar o jogador no meio-campo mostrou-se acertada. E será mantida. Pelo menos até que ele esteja em melhor forma física. Seu último jogo havia sido pelo Grêmio, dia 16 de maio, pelas oitavas de final da Libertadores, contra o Santa Fé, da Colômbia. O treinador sabia que André não conseguiria ser tão eficiente na lateral.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador está com inscrições abertas até segunda

– Nesse primeiro momento, quando a condição ainda não for a ideal, penso que ele vai render melhor ali. A função de lado, de lateral, requer mais preparo físico. João Paulo está realmente bem, acrescentando na frente. Tem dado consistência defensiva, é rápido no retorno. André me deixaria com mais cabelos brancos para apoiar (risos). Ele para apoiar é uma BMW. Para voltar, é um Fusca (risos). O João cresceu, e a gente quer escolher o melhor para a equipe. O que conseguirmos fazer de melhor nós vamos fazer – analisou o técnico.

André Santos volta ao Flamengo como nome de peso, com currículo encorpado por títulos e convocações para a seleção brasileira. Aos 30 anos, está mais preparado para jogar no clube. Parece muito mais à vontade. Na comemoração do terceiro gol do time no Fla-Flu, subiu a escadinha que leva até a torcida e abraçou torcedores. Depois, bateu do lado esquerdo do peito, sobre o escudo do clube. O recomeço foi promissor, mas Mano quer mais, André quer mais e os torcedores querem mais.

Leia também:  União vai enfrentar o Dom Bosco na Arena pelo Sub-19

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.