Reunião realizada em Cuiabá - Foto: assessoria
Reunião realizada em Cuiabá – Foto: assessoria

Rondonópolis irá receber cinco Centros de Acesso a Tecnologia e Inclusão Social (Catis), que serão instalados na Vila Operária, Região Salmen, Jardim Atlântico, Conjunto São José e na sede da União Rondonopolitana de Associação de Moradores de Bairros (Uramb). Os Catis, segundo o vereador Thiago Silva (PMDB), serão implantados em um prazo de 30 a 40 dias, após apresentação de certidões e termo de convênio da Prefeitura. A intenção é facilitar o acesso da população ao mundo digital e também contribuir com estudantes para pesquisas e projetos de extensão. Os Catis serão abertos para toda a população.

A definição sobre a instalação dos cinco Catis em Rondonópolis foi confirmada na última sexta-feira (2) em uma reunião em Cuiabá com a participação do vereador Thiago Silva, do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Edson Ferreira, da gerente municipal de Ciência e Tecnologia, Ângela Damian e o secretário de estado de Ciência e Tecnologia, Rafael Bastos.

Leia também:  Pátio exagera e diz que bancada federal dá a vida por Rondonópolis

De acordo com o vereador Thiago Silva, desde o início deste ano havia uma discussão com o secretário Rafael Bastos, para a implantação dos Catis em Rondonópolis. “No início do ano o Secretário Rafael esteve visitando a cidade e apresentamos uma indicação com o apoio da bancada do PMDB na Câmara e intermédio da Deputada Teté Bezerra e Carlos Bezerra”, afirmou o vereador.

Os Catis funcionarão em sedes de associações de bairros. Cada Catis será equipado com 11 microcomputadores, sendo um para estação de gerenciamento, uma impressora, um projetor multimídia, mobiliário (mesas para computado, cadeiras, rack e balcão), um aparelho de ar-condicionado de 18 mil BTUs, quadro branco, switch e modem/roteador, um nobreak e 10 estabilizadores.

Leia também:  Deputado Nininho destaca ações da Caravana da Transformação

Em contrapartida, conforme o vereador, a prefeitura de Rondonópolis deverá disponibilizar um funcionário para cada um dos Catis que serão instalados, com o objetivo de fomentar a pesquisa e a extensão, além de incluir digitalmente a população.

“A implantação de laboratórios de inclusão digital é uma política recente no mundo todo e tem a finalidade de diminuir a disparidade entre a população que tem acesso a informação e tecnologia e com aquela parte que não tem nenhum ou pouco acesso”, ressaltou Thiago Silva.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.