Usain Bolt já seria, naturalmente, o grande favorito ao ouro nos 100m e nos 200m metros no Mundial de Moscou, entre 10 e 18 de agosto. Quis o destino, porém, que a vida do bicampeão olímpico nas duas distâncias e no revezamento 4x100m ficasse ainda mais tranquila. Seus dois grandes rivais terão de ver pela TV a principal competição do ano. O americano Tyson Gay foi flagrado no exame antidoping, enquanto o jamaicano Yohan Blake ainda não está recuperado de uma lesão muscular. Assim, o Bolt aponta seu novo adversário: ele mesmo. Quer melhorar suas marcas e até acredita que pode quebrar os próprios recordes mundiais, especialmente o dos 200m. Ele mira ser o primeiro homem a correr a distância em menos de 19 segundos.

– Há sim a possibilidade de bater o recorde dos 100m, mas exigiria uma corrida tecnicamente quase perfeita e boas condições climáticas. Estou focado em manter um condicionamento físico em que esteja capaz de fazer isso. O recorde mundial dos 200m é um que eu realmente adoraria quebrar novamente para saber se é possível correr a prova abaixo dos 19 segundos. Isso seria realmente especial – disse o jamaicano.

Leia também:  AssuRoo | Time de futsal de surdos de Rondonópolis conquista 2° lugar da competição em Campo Grande

Bolt estabeleceu o atual recorde da prova durante o Mundial de Berlim, em 2009. O velocista venceu os 200m com o tempo de 19s19 poucos dias depois de estabelecer a melhor marca dos 100m (9s58). No entanto, o título de campeão mundial da prova mais rápida e tradicional do atletismo escapou das mãos de Bolt em Daegu, em 2011. O jamaicano escondeu o rosto na camisa, não acreditava no que fizera. Após queimar a largada da final, ele viu Blake ficar com a coroa dos 100m.

– Eu não penso mais nisso. Na época foi decepcionante, porque sabia que estava em ótima forma e se tivesse saído bem ganharia a medalha de ouro. Mas já deixei isso pra trás, aprendi e segui em frente. Agora estou focado em Moscou e em me preparar bem até lá. Sem dúvida é muito importante recuperar o título dos 100m. Quero continuar ganhando todas as corridas que competir, e os 100 e 200 metros em Moscou serão as corridas mais importantes do ano para mim. Por isso estou trabalhando duro com meu treinador.Nos 200m de Moscou, o maior concorrente do jamaicano é o compatriota Warren Weir. Na prova mais rápida, ele tem de superar o americano Justin Gatlin e o também jamaicano Nesta Carter. Confiança não falta a Bolt, que não minimiza seus adversários apesar das ausências de Gay e Blake.

Leia também:  Atleta de Rondonópolis fica com cinturão do Conselho Mundial de Muaythai

– Não estou preocupado com uma pessoa só. Todos os outros caras tentarão me bater e provar isso a eles mesmos. Eu não posso pensar sobre a ameaça de uma pessoa, tenho que focar em mim, meu treino e minha preparação. Minha temporada tem sido boa, tenho me sentindo mais forte a cada semana. É importante para mim que eu evite contusões, nos últimos anos tive pequenas lesões no início da temporada, o que foi um pouco frustrante, mas estou em ótima forma agora. Estou pronto – disse o Raio.
Pela primeira vez na Rússia, o jamaicano até toma aulas da língua local para cativar os torcedores do Estádio Olímpico de Moscou. Ele espera brilhar mais uma vez em mais um passo rumo às Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Leia também:  Colorado vence fora de casa e ganha moral na Copinha

– Ainda há muito para eu mostrar. Meu objetivo é continuar a ganhar medalhas de ouro em todo meu caminho até os Jogos de 2016. Se eu puder fazer isso e seguir quebrando recordes, então terei provado a mim mesmo que pude fazer e alcançar tudo o que quis.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.