A União Europeia irá rever “urgentemente” as relações com o Egito depois das sanções severas do governo contra os manifestantes, afirmaram em nota nesta domingo o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, e Herman Van Rompuy, que lidera o Conselho Europeu dos estados membros.

Segundo a nota, “a escalada (da violência) precisa ser evitada” no Egito, alertando que “isso poderia ter consequências imprevisíveis para o Egito e os países vizinhos.

Oficiais dos 28 países membros da União Europeia se reúnem nesta segunda-feira e uma reunião de emergência entre os ministros de Relações Exteriores deve ocorrer nos próximos dias, informou a nota. Entre os tópicos a serem debatidos está o corte de ajuda às autoridades interinas no Egito, de acordo com diplomatas da União Europeia.

Leia também:  Reprodução assistida a mulheres solteiras e homossexuais deve ser autorizada na França

Os líderes europeus atribuíram a responsabilidade pela violência no Egito às autoridades interinas e ao Exército, afirmando que os pedidos por democracia e liberdade “não podem ser negligenciados e muito menos tirados com sangue”. Fonte: Dow Jones Newswires.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.