Fábio Cardozo (PPS) desde o fim das eleições abriu mão da sua vaga na Câmara Municipal para poder assumir a Secretaria de Infraestrutura e agora após sete meses, resolveu retornar a Casa de Leis. Em entrevista ao site AGORA MT, Cardozo afirmou que quando ele aceitou a responsabilidade acabou sentido que estava sendo cobrado pelos seus eleitores e que a pasta o ocupava muito do tempo, sendo que não conseguia dar andamento em seus projetos.

De acordo com Cardozo esse teria sido um dos principais motivos que o vez tomar a decisão de voltar a Câmara. “Em março eu pedi exoneração ao prefeito Percival Muniz (PPS), mas concordei em aguardar até que ele encontrasse uma outra pessoa que desse continuidade aos trabalhos que haviam sido iniciados por nós”, explica.

Leia também:  Augustinho ensaia voltar à política em 2018

Cardozo disse que nunca escondeu o seu desejo de voltar ao posto que foi eleito, porém entendeu que naquele momento  o melhor era dar a sua contribuição na Secretaria. “O prefeito me deixou a vontade, por isso, agora quero me dedicar aos projetos que havia deixado parados, principalmente voltado a Saúde”, diz.

Nesta quinta-feira (1), Cardozo irá aproveitar para se despedir de todos e entregar a sua função na Secretaria. Cardozo acredita que já estará presente na próxima sessão que ocorrerá em sete de agosto. Quem ficará com o comando da pasta de Infraestrutura será Argemiro Ferreira que respondia pela Secretaria Municipal de Trânsito.

AVALIAÇÃO

Fábio Cardozo avaliou como positivo o tempo em que ficou a frente da Secretaria de Infraestrutura. Ele afirma que quando assumiu encontrou mais de 95% das obras em atraso. “Demos andamento em várias obras, sendo que 17 delas estão em a todo vapor e logo serão entregues”, alega.

Leia também:  Presidente da Câmara compõe comitiva de autoridades para lançamento de obra e reunião sobre a Saúde

Cardozo também contou que teve muitos problemas com empreiteiras que pegaram para executar as obras e que para resolver os atrasos enviou notificações e que em alguns casos foi necessário rescindir contratos.

Ele informou que durante a sua gestão na pasta foi apresentado o maior projeto de asfalto da cidade com R$ 50 milhões de investimentos que já foram aprovados. “Apesar dos problemas, saio com a consciência tranquila e com a sensação de que fiz o melhor dentro das possibilidades”, finaliza.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.