Fora do calendário mundial desde 1966, a Copa Intercontinental de Clubes está de volta. Nesta segunda-feira, a Federação Internacional de Basquete anunciou que a competição, que marca o encontro entre os campeões da Liga das Américas e da Euroliga, voltará ser disputada. Pinheiros e Olympiacos, da Grécia, vão se enfrentar no ginásio José Corrêa, em Barueri, em dois jogos, nos dias 4 e 6 de outubro.

– A FIBA está muito contente em aprovar o retorno da Copa Intercontinental com os clubes mais importantes de cada continente. Isso é a prova do grande desenvolvimento do basquete nas Américas, em especial na América do Sul, e espero que seja uma iniciativa que se mantenha para servir de experiência para uma futura Copa Mundial de Clubes – afirmou o secretário geral da FIBA, Patrick Baumann.

Leia também:  Brasil vence a Holanda e tem desafio mortal contra os Estados Unidos

A Copa Intercontinental de Clubes foi disputada pela primeira vez em 1966 e teve 21 edições até o ano de 1987, com uma competição extra em 1996. O Brasil esteve presente em quase todos os torneios, representado por equipes como Franca (SP), Monte Líbano (SP), Corinthians (SP), Botafogo (RJ) e o Esporte Clube Sírio (SP), que sagrou-se campeão em 1979, sob o comando do atual técnico do Pinheiros, Claudio Mortari.

– Sinceramente, tenho que manifestar nossa enorme felicidade de concretizar um sonho que começou desde o início da primeira Liga das Américas, em 2007. Sabíamos que precisávamos de um tempo para que esse dia chegasse, mas agradeço a todos que confiaram nessa ideia. comemorou o secretário geral da FIBA Américas, Alberto García.

Leia também:  União, mesmo com derrota, avança e joga de novo contra o Dom Bosco

Campeão da última edição da Liga das Américas, o Pinheiros se mostra animado com a chance de levantar o troféu após 17 anos da última disputa.
– Para o Pinheiros, clube de mais de 114 anos de tradição, sempre foi uma meta, depois de vencer a Liga das Américas, poder disputar um dos eventos mais importantes do mundo como a Copa Intercontinental. Com muito planejamento, alcançamos nosso objetivo, ajudando a consolidar o basquete brasileiro num plano internacional – afirmou João Fernando Rossi, diretor de esportes olímpicos do Pinheiros.

O clube grego também se disse feliz com a chance de disputar a competição no país.
– Nossa presença num momento tão importante para o basquete é uma honra. O Olympiacos vem conquistando feitos históricos nos últimos dois anos e essas partidas no Brasil são o passo a mais que se precisava para o futuro do basquete de clubes no nível mundial.

Leia também:  Academia é destaque em competição em Minas Gerais

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.