Alguns dos ginastas mais importantes do país se reuniram nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, para um encontro informal. Mas, quando isso acontece, o trabalho sempre é assunto. Com uma ruptura no ligamento do pé direito, Jade Barbosa faz fisioterapia, mas pode ficar fora do Mundial da Bélgica, que começa dia 30 de setembro.

– Já tem um mês mais ou menos que me machuquei e optei por não fazer cirurgia, porque o tempo de recuperação seria o mesmo. Estou fazendo fisioterapia, mas se for para eu não ir e ter uma recuperação melhor, vou optar por isso – explicou.

Para o técnico da seleção brasileira, Renato Araújo, a pressão por resultados não pode ser grande neste Mundial, já que ele representa o início de um novo ciclo para seus comandados.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

– É um Mundial que não tem como cobrar muita coisa. É um Mundial que vamos ver os novos movimentos do ano e o nível da ginástica este ano.

Todo o inicio do ciclo é nesse Mundial – disse o treinador.

Os irmãos Hypolito chegam à competição com experiência de quem também já subiu ao pódio em Mundiais. Daniele fez história ao ser a primeira medalhista da ginástica brasileiro nesta competição, quando conquistou a prata em 2001. Diego conquistou logo dois ouros, uma prata e um bronze no solo. Depois de sofrer com as lesões e com a falta de estrutura no Rio de Janeiro, ele quer entrar de cabeça mais tranquila no Mundial, sem pressão.

Leia também:  Futebol em luto: morre Gilson Lira

– Não estou programando medalha no Mundial. Pode acontecer, se eu fizer boa série, mas não está nos meus objetivos, já que meu objetivo agora é estar na final – afirmou o ginasta.

Já Daniele quer se manter bem até as Olimpíadas de 2016, quando deseja se aposentar como atleta.

– Quero fazer meu melhor em 2016. Quero estar bem até lá para encerrar minha carreira – concluiu.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.