O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, pediu que a Justiça seja implacável com seu tio Domingo Viveros Cartes, capturado no Uruguai e reivindicado por Brasil e Uruguai por tráfico de drogas, informou o novo chefe paraguaio antidrogas, Luis Rojas, nesta quarta-feira (22).

“Está correto. O presidente tem conhecimento da detenção de seu parente no Uruguai e pede para que sejam implacáveis com ele”, confirmou Rojas.

Ele informou que há ordens de captura no Paraguai contra Viveros Cartes e é provável que seja extraditado. Rojas explicou que, no Uruguai, o tio do presidente está sendo processado por ter falsificado dados pessoais e por violar a lei de navegação aérea. Já no Paraguai ele é procurado por narcotráfico.

Leia também:  Confrontos entre grupos Islâmicos e forças do regime de Damasco deixa 150 mortos na Síria

Viveros Cartes foi condenado a 17 anos de prisão em 2001, no Brasil. Cumpriu seis anos da sentença, mas acordos bilaterais conseguiram sua transferência para o Paraguai, onde completaria a pena.

Em 2012, ele passou a ser procurado por uma carga de 400 quilos de maconha, apreendida em setembro, mas se manteve foragido até sua detenção no Uruguai.

Viveros Cartes pilotava um avião Cessna de matrícula paraguaia, sem permissão para voar por território uruguaio, no momento de sua captura.

De acordo com o chefe antidrogas, Viveros Cartes é um parente afastado do presidente paraguaio. “A gente não escolhe os parentes que tem”, defendeu.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.