A semana do UFC Rio 4 começou a esquentar. No Circo Voador, tradicional casa de shows da capital carioca, o Ultimate realizou uma entrevista coletiva com os principais lutadores do evento de sábado. Com imprensa e fãs presentes, os momentos que fizeram o público vibrar mais foram as respostas de José Aldo.
Em uma delas, por exemplo, o campeão peso-pena brincou ao falar do peso de ser o número 1 da categoria e lutar em casa, no Brasil.
– Pesa nove quilos (peso do cinturão), não vejo problema em carregar isso. Espero até conquistar outro, aumentar esse peso aí. Se tiver outro cinturão, melhor ainda – disse o manauara, numa clara referência à vontade que tem de subir de categoria e ir para os leves.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

Ainda sobre o tema, Aldo garante que não se sente mais pressionado por causa das derrotas nos últimos meses de outros dois campeões brasileiros, Junior Cigano e Anderson Silva.
– Não sinto responsabilidade nenhuma. Sou diferente, cada um tem um estilo. Somos dois campeões na academia (Nova União), eu e o Renan Barão. Tratamos isso normalmente e focamos em nós mesmos, em não nos preocupar pelos outros. O Anderson vai ter a revanche, o Junior também, e espero que possam recuperar (o título).

Com ou sem responsabilidade, a vitória sobre Chan Sung Jung será mais um motivo para comemorar com o público na Arena da Barra. Na primeira e única vez que lutou na cidade pelo UFC, José Aldo proporcionou uma das cenas mais inusitadas da história da organização: logo após nocautear Chad Mendes, deixou o octógono e pulou em cima dos torcedores. Aldo acha difícil que isso possa se repetir, mas prometeu surpresas.
– Naquela vez eu corri para a galera, mas os seguranças já estão me cercando, então vocês vão ver na hora (risos).

Leia também:  Diretoria do União deve apresentar equipe dia 14

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.