Foto: Internet
Foto: Internet

A proprietária de uma loja luxuosa em Zurique negou que racismo estivesse envolvido quando a apresentadora de TV norte-americana Oprah Winfrey foi desencorajada de comprar uma bolsa de couro de crocodilo de 35.000 francos suíços (38.100 dólares).

Oprah, recentemente nomeada a celebridade mais poderosa do mundo pela Forbes, estava em Zurique para o casamento da cantora Tina Turner quando ocorreu o incidente, no mês passado.

A apresentadora disse em duas entrevistas nos EUA que uma assistente de vendas se recusou a mostrar para ela a bolsa de marca, dizendo que era “cara demais” para a celebridade afro-americana e levando-a em direção a outras bolsas mais baratas.

A loja luxuosa Trois Pommes negou discriminação contra Oprah, que pediu para ver uma bolsa “Jennifer”, desenhada por Tom Ford e batizada em homenagem à atriz Jennifer Aniston. A proprietária disse que o incidente se deveu a uma barreira linguística.

Leia também:  Telejornalismo da Globo recebe duas indicações ao Emmy Internacional 2017

“Esse é um desentendimento totalmente clássico”, disse a proprietária, Trudie Goetz, à Reuters nesta sexta-feira.

A assistente de vendas quis mostrar a Oprah que a bolsa também estava disponível em outros materiais, o que pode ter dado à apresentadora de televisão a impressão de que a loja não queria vender a ela a bolsa, disse Trudie.

“É claro que não é este o caso. Quem não iria querer vender uma bolsa de 35.000 francos?”.

Oprah, de 59 anos, que dirige sua própria emissora de televisão, ganhou 77 milhões de dólares de junho de 2012 a junho de 2013, cimentando o primeiro lugar na lista da Forbes no mês passado, a quinta vez que ela liderou o ranking de 100 celebridades.

Leia também:  Dois de seis turistas esfaqueados morrem em balneário do Egito
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.