O antigo presidente sul-africano, Nelson Mandela, iniciou quinta-feira o seu terceiro mês no hospital onde continua, segundo as autoridades sul-africanas, em estado “crítico mas estável”.
Segundo a sua ex-esposa, Nelson Mandela, que sofre de infecção pulmonar, “respira normalmente” enquanto alguns visitantes haviam afirmado que estava “sob assistência respiratória” no início de Julho.

“Os médicos conseguiram conter a situação e ele respira normalmente agora”, declarou a antiga esposa de Mandela numa entrevista ao canal televisivo Sky News.

“A nossa volta, vimos pessoas a renderem-no homenagem, a considerarem-no como morto e a prepararem-se para as exéquias”, prosseguiu antiga defensora anti-apartheid, que foi fervorosa apoiante de Mandela durante os seus 27 anos de prisão.

Leia também:  Mais de 20 países fazem substituição do cigarro tradicional por eletrônicos

“Ele até foi enterrado por antecipação. As pessoas não pensam nos nossos sentimentos?”, interrogou, qualificando a situação de “cruel” e afirmando que Mandela continua a abrir os olhos sempre que os seus filhos o visitem.

Desde a sua hospitalização em emergência a 08 de Junho devido a uma infecção pulmonar, as mensagens de apoio ao Madiba –retratos, desenhos e cartas – não param de cobrir o gradeamento do hospital, ao mesmo tempo que a polícia continua a vigiar as entradas e saídas de viaturas.

O Prémio Nobel da Paz, que completou 95 anos a 18 de Julho, é considerado como um verdadeiro santo no seu país, que teme o seu falecimento.

Os problemas pulmonares de Mandela estão provavelmente ligados às sequelas de uma tuberculose contraída durante a sua permanência na ilha-prisão de Robben Island, perto da Cidade do Cabo, onde passou 18 dos seus 27 anos de detenção.

Leia também:  Australiano que matou os filhos para se vingar da mulher é condenado a prisão perpétua
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.