Assim como minha esposa também estou grávido há três meses. Há noventa dias, para mim, o 2º domingo de agosto sempre foi uma data para comemorar um dia alheio à minha condição de vida. Hoje mudou. Sempre desejei felicidades e sabedoria aos pais, em especial ao meu e aqueles que sempre estiveram em meu círculo de amizade. O tempo passa, a gente envelhece e ganha novas datas para ser comemoradas.

Tenho e terei, pelo resto da vida, que aprender a ser pai. Ainda faltam alguns meses para que o meu rebento esteja em meu colo. Esta linda criança, corintiana, que esperamos revelou seu sexo na semana passada. Miguel é seu nome.

Leia também:  Consumidor Fluido, quem são eles?

A mudança de categoria, de filho para pai, não é exclusividade apenas minha. O chefe da familia Cardoso, meu querido pai, também foi promovido, e agora tem nova patente: ser avô. Creio que ele deve estar experimentando, assim como eu, um pouco desta doce crise de identidade.

Ontem recebi o primeiro “feliz dia dos pais”. A felicitação foi antecipada e, confesso, até me pegou de surpresa.

Em meus ouvidos, a frase que sempre desejei com carinho ao meu ‘velho’ querido, mesmo quando esta não vinha acompanhada de presentes, mas sempre de um abraço caloroso, ou, como nos últimos anos, por meio de ligações telefônicas sinceras, em virtude da distância geográfica, soou como uma melodia calma e inspiradora.

Leia também:  Querida Joana...

Posso estar empolgado, mas jamais equivocado: vivo ansioso pelo choro, trocas de fraldas e alegrias que este pequenino está por trazer para nós. A partir desta data, também entro no time, e comemoro o primeiro dias dos pais.

O Miguelzinho, responsável pela minha escalação, está crescendo a cada dia. Por enquanto ele só tem 14 semanas, cerca de 11 centímetros e 50 gramas. Mas já me decidi, quero ser um eterno titular nesta seleção de homens, escolhidos por Deus, que podem contribuir com o milagre da vida. À minha maior referência de paternidade, meu querido pai, e a todos que também o são, parabéns por esta data. Que possamos amar, educar e formar nossos filhos. Feliz dia nosso!

Leia também:  Preconceito

 

*Eduardo Cardoso é pai de primeira viagem e acadêmico de jornalismo.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.