O papa Francisco pediu hoje (29) que a comunidade internacional busque o fim do impasse na Síria por meio do diálogo e, não pela guerra. Francisco diz que o único caminho para a paz é pelo diálogo e a negociação. No encontro com o rei da Jordânia, Abdullah II, Francisco apelou para que o mundo tenha uma “atenção especial” em relação à Síria e fique em alerta devido à “trágica situação” que ocorre na região.

Em pouco mais de dois anos, cerca de 100 mil pessoas morreram nos conflitos na Síria. No último dia 21, 750 pessoas morreram supostamente em consequência do uso de armas químicas. Em nota, divulgada pelo Vaticano, o papa reitera o pedido da negociação consensual na Síria apesar da pressão de países, como Reino Unido, França e Estados Unidos, para uma intervenção militar.

Leia também:  Jorge Glas, vice-presidente do Equador é preso por propinas da Odebrecht

“[Na conversa com o rei da Jordânia] foi reafirmado que o caminho do diálogo e da negociação entre todos os que integram a sociedade síria, com o apoio da comunidade internacional, é a única opção para acabar com o conflito e violência que a cada dia causa perda de muitas vidas, especialmente entre a população civil”, diz o texto divulgado pelo Vaticano.

Segundo a assessoria de Francisco, na reunião com Abdullah II, a conversa abordou a promoção da paz e da estabilidade no Oriente Médio, inclusive a retomada das negociações entre israelenses e palestinos. O papa também agradeceu ao rei, que é muçulmano, o apoio no esforço de promover o diálogo entre as religiões.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.