Todos os novos conjuntos habitacionais ou loteamento, públicos e privados, de Rondonópolis deverão conter projetos e execução de rede de esgoto e água. É o que prevê o projeto de Lei de autoria do vereador Reginaldo Santos (PPS), que já foi aprovado pela Câmara Municipal. O projeto deverá, agora, receber a sanção ou não do Poder Executivo.

De acordo com o vereador Reginaldo, o objetivo do projeto é impedir que problemas verificados em residenciais como o Dom Osório 2, que só foi entregue depois de mais de um ano de ficar pronto . “A nossa ideia ao apresentar esta proposta foi de que não se repitam situações como essa, onde as famílias selecionadas pela Caixa Econômica Federal não podiam entrar, devido a falta das redes de água e esgoto”, disse, lembrando que os residenciais João Antônio Fagundes e André Maggi, ainda, não foram entregues por motivos semelhantes.

Leia também:  Vereador Thiago Silva propõe a criação de banco para materiais de construção

“São famílias que, devida à falta do dimensionamento correto da demanda de água, só agora, depois de muitos anos, vislumbram um final feliz, ou seja, a entrega das suas casas, já que a atual direção do Sanear providenciou a garantia do abastecimento e da rede de esgoto”, ponderou Reginaldo.

Conforme o vereador, quando a Estação de Tratamento de Água não comportar a demanda de abastecimento que será gerada com a chegada de novos moradores, o projeto estabelece que será obrigatório a abertura de poços artesianos nos padrões e moldes exigidos pelo Sanear.

“As despesas para perfuração do poço artesiano ficará a cargo do município quando se tratar de Conjuntos Habitacionais ou loteamentos públicos. Quando forem privados, será de responsabilidade dos investidores”, esclarece o vereador.

Leia também:  Deputado Rezende garante convênio em prol do Oratório Filhos de Dom Bosco
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.