Durante um depoimento prestado ao Ministério Público de São Paulo nesta quarta-feira, o ex-presidente da empresa Siemens Adilson Primo negou participação em crimes de formação de carte e corrupção. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, Primo disse que contratos de consultoria da Siemens com empresas suspeitas passaram por auditoria interna e nenhuma ilegalidade foi comprovada. Ele também não apresentou informações sobre a suposta participação de outros funcionários da empresa na suposta formação de cartel. Primo foi presidente da Siemens no Brasil entre 2001 e 2011 e foi demitido sob suspeita de ter desviado R$ 6,5 milhões de Euros.

A atual administração da empresa denunciou, em maio, que executivos da Siemens atuaram na criação de cartéis em licitações de trens em São Paulo entre os anos de 1998 e 2008. Segundo o Primo, como presidente ele não tinha conhecimento detalhado sobre todas as ações da companhia. A promotoria paulista abriu ontem seis novos inquéritos sobre contratos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) após ouvir técnicos da companhia.

Leia também:  Barco de pesca com sete pessoas desaparece no mar do Rio Grande do Sul
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.