O vereador Fábio Cardoso (PPS) está preocupado com a piora nos índices de saúde do município que podem ser causadas por conta da redução dos valores que são repassados ao município, inclusive à rede de atenção básica, que inclui os o Programas de Saúde da Família – PSF´s, Saúde Bucal e Farmácia Municipal, entre outros. Na opinião do parlamentar, deixar de investir na prevenção fará com que aumente o número de pessoas que procuram atendimentos de médio e alta complexidade.

“Antigamente as pessoas só procuravam cuidar da saúde quando já estavam doentes. Nas últimas décadas isso mudou. Os próprios governantes, através de programas específicos, passaram a orientar a população a cuidar da saúde ainda com saúde, ou seja, a buscar a prevenção”, pontuou Fábio. Na opinião do vereador, a falta de prevenção pode gerar problemas maiores do que já são vistos hoje no município. “Mesmo que estes recursos sejam administrados da melhor forma, vai faltar dinheiro para cobrir todos os custos e realizar novos investimentos. Isso pode gerar um caos no futuro”, alertou.

Leia também:  Zaeli fala do projeto do IPTU e também sobre os problemas no Aeroporto Municipal

Por conta disso, o parlamentar aproveitou a vinda do governador do Estado, Silval Barbosa (PMDB), à Rondonópolis, para cobrar dele uma nova readequação dos repasses feitos ao setor de saúde do município, em especial à atenção básica.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, o município sofreu um corte de mais de 45% sobre o total que vinha sendo repassado pelo governo estadual. Só na atenção básica a redução foi de 26,43%, passando de R$ 1.199.060,70 para R$ 882.182,61 em recursos que devem ser utilizados para o primeiro atendimento do cidadão, na prevenção às doenças, com exames de prevenção e cuidados básicos para evitar o aparecimento de doenças crônicas.

Logo que assumiu novamente sua cadeira na Câmara, o vereador já havia conversado com a secretária Municipal de Saúde, Marildes Rego, a respeito do assunto para se colocar a par das justificativas do governo para o corte, mesmo assim, optou por aproveitar a presença de Silval no município para reivindicar um novo aumento, pois os valores que vem sendo repassados não têm sido suficientes para atender as necessidades do setor.

Leia também:  Assembleia realiza audiência pública para debater novo prédio da Politec

De acordo com Fábio, a justificativa do peemedebista foi a mesma dada anteriormente à secretária. Segundo o governador, os compromissos feitos pelo Estado com os municípios em relação aos repasses da saúde iam além da capacidade de pagamento do Executivo Estadual, desta forma, não poderiam ser cumpridos. Sendo assim, segundo Silval explicou ao vereador, o Estado escolheu por diminuir os recursos através da portaria 43, na tentativa de tentar honrar seus compromissos.

Questionado por Fábio da possibilidade dessa redução criar um caos na saúde, Silval garantiu que o valor total dos recursos destinados à saúde estão diretamente ligados à arrecadação do Estado, e que o aumento dos repasses deve acontecer em breve, de acordo com o aumento da arrecadação de impostos.

Leia também:  Em troca de incentivos fiscais, Silval Barbosa revela que cervejaria doou cerca de R$ 2 milhões

Diante desta explicação do chefe do Executivo, o vereador informou que irá acompanhar de perto a receita do Estado, para fiscalizar se uma possível arrecadação realmente vai implicar no aumento dos repasses, conforme prometeu Silval. “Cabe a mim agora fiscalizar, ter a certeza de que qualquer dinheiro que entre a mais para o governo seja proporcionalmente investido na saúde. Além disso, as minhas cobranças não vão parar, o que estiver ao meu alcance para tentar ajustar estes recursos eu farei e espero contar com a ajuda de todos os vereadores para isso”, finalizou.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.