O atraso das obras de reforma do socioeducativo foi alvo de crítica pelo vereador Roni Magnani (PP), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal desta quarta-feira (28). Da tribuna do plenário, Roni Magnani disse que como vereador e defensor da segurança pública em Rondonópolis, voltava a cobrar do estado a reforma da unidade do sistema socioeducativo que esta com prazo de conclusão das obras vencido há mais de 30 dias.

“O estado enrolou falando que o problema do atraso das obras estava relacionado a problemas com liberação dos recursos na ordem de R$ 149 mil. Agora a justificativa do Governo do Estado é de que é necessário a retirada dos internos da unidade do Sistema Socioeducativo de Rondonópolis para a reforma do prédio. Mas acredito que é possível a retirada dos internos para a reforma das celas e o direcionamento deles para outros cômodos da unidade, como as salas de aula. Mas o ideal seria que os internos fossem direcionados para outras unidades do socioeducativo no estado. Mas esta faltando força de vontade da Superintendência do Socioeducativo em Mato Grosso e até mesmo da justiça para encontrar as vagas nestas outras unidades”, disse o vereador.

Leia também:  Thiago Muniz alerta que valores da taxa de lixo são absurdos e ilegais

O vereador relembrou que o Termo de Acordo Extrajudicial foi assinado no dia 10 de maio entre o Ministério Público e o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Valdemir Rodrigues Pascoal, e previa a conclusão das obras emergenciais de reforma da unidade do Centro Socioeducativo em 60 dias a contar da assinatura.

“O Ministério Público já encaminhou expediente para o Juizado da Infância e da Adolescência solicitando que o Judiciário providenciasse vagas em outras unidades, como as de Cuiabá, Sinop ou Barra do Garças para abrigar os internos enquanto ocorressem as reformas. A resposta obtida foi que não há mais vagas nestas unidades. Nesta semana o número de internos na unidade do socioeducativo de Rondonópolis atingiu o pico de 40 jovens em conflito com a lei, enquanto a capacidade é para 23”, finalizou o vereador em seu discurso na Câmara Municipal.

Leia também:  Vereadores vão tentar alternativas com diretoria do Sanear
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.