Antes de terminar sua última temporada na Fórmula 1, Mark Webber fez uma breve avaliação e concluiu que o esporte vive um ‘momento triste’. O australiano afirma que por causa dos problemas financeiros que acometem as equipes, muitas delas estão dando mais oportunidades aos pilotos pagantes do que aos que têm talento. Com isso, o veterano da RBR acredita que a qualidade do grid caiu muito, desde sua estreia, em 2002, pela Minardi.

– Quando eu ainda estava no fim do grid com a Minardi, tínhamos Irvine, Salo e mais gente boa. Todos eles já tinham conquistado um pódio. O grid era cheio de gente que havia ganhado na F3000 com corridas impressionantes. Ainda existe um monte de pilotos talentosos hoje em dia, mas alguns estão perdendo oportunidade por causa de dinheiro. Robin Frijns, por exemplo, é um jovem fenomenal, mas não tinha verba e não pode mais correr pela GP2.

Leia também:  Richard Gama vence três e cai nas semifinais para líder

Webber afirma que continua focado em se certificar de que o seu pupilo, Mitch Evans, de 19 anos, consiga chegar à Fórmula 1.O jovem neozelandês é o atual campeão da GP3 e conseguiu quatro pódios nesta temporada pela GP2.

– Meu trabalho é trazer Mitch para a F-1 e mostrar do que ele é capaz. Porém, não estão organizando muitos testes no momento – conclui.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.