Mark Webber e Fernando Alonso criticaram as punições recebidas em razão da “carona” que protagonizaram após o GP de Cingapura do último domingo e que levou os torcedores nas arquibancadas ao delírio. O espanhol publicou uma montagem do cartaz do filme “Taxi” com o rosto dos dois. Já o australiano classificou a advertência como “cômica” e lembrou, com ironia, que o comissário convidado da prova, o ex-piloto britânico Derek Warwick, um dos responsáveis pela punição, já estrelou uma cena semelhante, ao voltar para os boxes em cima da Ferrari de Gerhard Berger, em 1988.

Incomodado com a repercussão negativa, Warwick resolveu se manifestar. Ele ressaltou que a punição não foi especificamente pelo ato da carona em si, mas sim pela forma como ela foi feita, pondo em risco a segurança tanto deles como de outros pilotos. Após o anúncio das penalidades, a Federação Internacional de Automobilismo divulgou imagens que mostram que Alonso parou sua Ferrari na saída de uma curva ao ver Webber fazendo sinal. O australiano atravessou a pista e subiu no carro. Nesse momento, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, que vinham atrás, tiverem que desviar bruscamente para não atingi-los. Um dos pilotos da Mercedes quase acertou Webber. Confira este ângulo no blog Voando Baixo.

Leia também:  Richard Gama vence três e cai nas semifinais para líder

– Foi uma situação perigosa. Um piloto poderia ter se machucado. Espero não ser visto como “desmancha-prazeres”. Quero que a Fórmula 1 seja entretenimento, espetáculo. A F-1 se tornou um pouco estéril em alguns aspectos, mas não podemos colocar os pilotos em risco – defendeu-se o ex-piloto, em entrevista ao jornal britânico “Telegraph”.

Warwick defende que, se a “carona” tivesse sido feita de um modo mais seguro, não seria passível de punição:

– Se tivesse sido feito de uma forma mais segura, poderia ter sido vista de uma forma diferente. Mas foi potencialmente muito perigoso. Você não pode estacionar o carro no meio de uma curva – explicou.

Leia também:  Diretoria do União deve apresentar equipe dia 14

Webber recebeu uma reprimenda por infringir o artigo 30.9 (b) do regulamento esportivo, que proíbe “a entrada de pilotos na pista sem a autorização de fiscais entre a volta de apresentação e o momento que o último carro entra no parque fechado”. Por ter sido sua terceira no ano, o veterano recebe automaticamente uma penalização de dez punições do grid de largada da próxima etapa, o GP da Coreia, dia 6 de outubro. Ele já havia sido advertido por bater em Nico Rosberg no Bahrein e por ignorar bandeiras amarelas no Canadá. Já Alonso foi enquadrado no artigo 30.13 pelo modo como parou na pista e por ter acelerado até 100km/h com Webber em cima de seu carro. O texto diz que que é passível de punição “dirigir o carro de maneira que possa ser considerado potencialmente perigoso para outros pilotos ou qualquer outra pessoa”.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.