Contrariando muitas pesquisas recentes, um estudo realizado pelo Ateliê de Pesquisa Organizacional revela que o dinheiro é o fator que mais impacta os profissionais quando se fala de felicidade no trabalho.

De acordo com o levantamento, realizado com 200 profissionais do Rio de Janeiro e São Paulo, para 78% dos entrevistados o dinheiro é um fator que se sobrepõe a todos os outros, quando se trata de felicidade no trabalho, sendo que ele possui maior peso para os cariocas do que para os paulistanos, na proporção de 84% e 73%, respectivamente.

Outros dois fatores que tornam as pessoas felizes com o trabalho, lembrando que eram possíveis múltiplas respostas, são o relacionamento com os colegas (49%) e a possibilidade de trabalhar em equipe (41%).

Leia também:  Tarifa de energia deve ficar no patamar 2, se escassez de chuva continuar

No que diz respeito ao sentido do trabalho, empatados em primeiro lugar, com 95% das indicações cada, estão o fato dele dar estabilidade financeira, fazer com que a pessoa se sinta útil e dar prazer. Ainda neste caso, foram citados satisfação (93%), costume (87%) e status (73%), entre outros.

Mulheres são mais felizes no trabalho

Ainda de acordo com o estudo, 79% dos entrevistados se consideram felizes ou muito felizes em relação ao trabalho, com apenas 7% se considerando infelizes ou muito infelizes.

Comparando homens e mulheres, é entre elas a maior proporção de felizes, de 84%, contra 75% deles. Já na relação entre cariocas e paulistanos, 85% dos cariocas se consideram felizes no trabalho, percentual que cai para 71% entre os paulistanos.

Leia também:  MPT consegue liminar contra Energisa e pede indenização de R$ 5 milhões

No que diz respeito à responsabilidade da felicidade no trabalho, para 46% dos entrevistados, ela é de responsabilidade do próprio profissional.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.