Dizem que fazer a famosa “sesta” pode ajudar o cérebro a descansar e trabalhar melhor no resto do dia. Entretanto, esse hábito também pode aumentar o risco de diabetes tipo 2 – como afirma uma nova pesquisa da Universidade de Ciência e Tecnologia de Huazhong, na China. O trabalho foi publicado em setembro na revista Sleep Medicine.

O estudo acompanhou 27.009 homens e mulheres com 45 anos ou mais. Quase 70% dos voluntários disseram tirar um cochilo à tarde regularmente tirou um cochilo à tarde. Durante a pesquisa eles descobriram que as leituras de glicose eram muito maiores entre aqueles que mantinham essa prática. Os pesquisadores descobriram que dormir de 30 minutos a uma hora pode aumentar as chances de desenvolver diabetes do tipo 2. Quarenta por cento deles também tinham pressão arterial elevada, em comparação com apenas 33% dos não-cochiladores, e 24% tinham níveis aumentados de colesterol, em comparação com 19% dos participantes que não dormiam à tarde ou o faziam por um tempo menor que 30 minutos.

Leia também:  Rótulos de certas águas de coco não são confiáveis, diz Proteste

De acordo com os autores, uma razão para a sesta ser prejudicial é simplesmente o fato de que dormir a tarde significa que menos exercício está sendo realizado. Outra hipótese é a de que o cochilo interrompe o relógio interno do corpo e expõe o organismo a níveis mais altos do hormônio do estresse cortisol. Os cientistas afirmam que esses resultados estão em contraste com os de outros estudos recentes – que mostram o cochilo como benéfico para o cérebro e para reduzir o risco de ataques cardíacos e derrames. Eles completam dizendo que é importante descobrir o tempo certo de soneca e se pessoas com fatores de risco para essas doenças realmente se beneficiam no hábito.

Leia também:  Saúde | Cross Fit ganha cada vez mais força no Brasil
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.