O aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, que passa por uma série de obras para ampliação, alargamento e pavimentação de sua pista de pouso, pode também em breve ser alvo de mais um investimento do Governo Federal na área de embarque e desembarque, onde concentram-se milhares de pessoas mensalmente.

O secretário de transportes e trânsito do município, Argemiro Ferreira, protocolou no dia 23 de agosto no Banco do Brasil – que será o intermediador desta leva de investimentos propostos pela presidente Dilma Rousseff aos aeroportos brasileiros, um projeto de ampliação do local onde permanecem os passageiros de 1.350 m² para 13.500m², permitindo a instalação de um minisshopping com lojas de variados segmentos, além de uma praça de alimentação maior no Aeroporto Municipal.

Leia também:  Santa Casa | Sem receber, atendimentos eletivos e referenciados serão suspensos no próximo dia 7

A possibilidade da oficialização deste segundo investimento para Rondonópolis pode sair até mesmo nesta quarta-feira (11) quando o ministro-chefe da Secretaria de Ação Civil Wellington Moreira Franco assinará diversos convênios em Brasília, estando o da cidade mais desenvolvida do sul de Mato Grosso já em sua mesa. Se aprovado, o projeto desenvolvido pela equipe técnica do Município, com a coordenação de Argemiro, deve viabilizar R$ 16 milhões para transformar a estrutura aeroportuária local em modelo no Estado.

“O nosso aeroporto nos próximos dias estará ao lado do maior complexo intermodal de escoamento de grãos da América Latina. Concluindo o projeto que já está em execução na pista de pouso e logo viabilizando o outro de uma nova estrutura de embarque e desembarque, estaremos seguramente preparados para receber qualquer tipo de aeronave e fornecer todos os serviços que os grandes aeroportos disponibilizam”, avaliou Argemiro.

Leia também:  Rotaract Club de Rondonópolis realiza troca de diretoria para 2017/2018

AMPLIAÇÃO DA PISTA

De responsabilidade da empresa Ensercon, a ampliação da pista de pouso, que ocorre desde o primeiro semestre e tem dois anos de prazo para ficar pronta, está sendo levada de 1.850 para 2.350 metros de extensão, ficando com 45 metros de largura – 15 metros a mais que a estrutura atual. O projeto que de R$ 20.892.913,14 vindos via BNDES ainda contempla toda a reestruturação da iluminação de pista e uma nova área de taxiway, fundamental para a organização do tráfego de aeronaves, segundo detalha o secretário.

“O taxiway é a pista paralela a de pouso onde o avião após vai acessá-la, liberando a pista principal e levando os passageiros a um desembarque mais confortável e seguro. A extensão desta pista será praticamente a mesma da pista de pouso”, explicou Argemiro.

Leia também:  Campanha vai recolher embalagens descartadas em salões de beleza
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.