De acordo com o levantamento realizado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa mais de 7 mil concessionários de veículos em diversos segmentos, o total de emplacamentos registrados, no mês de agosto, foi 3,55% menor que os registrados em julho. Ao todo, foram comercializados 481.239 automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos, máquinas agrícolas e implementos rodoviários no oitavo mês de 2013.

Apesar da queda, a média diária de vendas de automóveis e comerciais leves foi superior em agosto, com 14.215 unidades, ante 14.084 em julho (aumento de 0,93%). “Julho teve um dia útil a mais que o mês de agosto – 23 e 22 dias, respectivamente. Esta diferença refletiu no resultado final do mês. Se os períodos fossem equivalentes, o fechamento seria ligeiramente positivo no comparativo”, comenta o presidente da Fenabrave, Flavio Meneghetti.

Leia também:  Geração de empregos formais cai no mês de setembro em Rondonópolis

Outro ponto destacado por Meneghetti está no comparativo entre agosto de 2013 e o mesmo mês de 2012, que registrou queda de 22,87%. Como relembra o presidente da Fenabrave, o oitavo mês do ano passado, devido aos incentivos do fim da cobrança de IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados, para automóveis e comerciais leves, houve um recorde histórico de emplacamentos, que atingiu a marca de 405 mil unidades naquele mês. “Após as medidas de incentivo adotadas pelo governo, em maio de 2012, o número de emplacamentos cresceu nos meses seguintes e, em agosto, foi registrado recorde em automóveis e comerciais leves. Isso demonstra que a desoneração fiscal e de custos dos financiamentos impactou, favoravelmente, no setor, mas a situação este ano é diferente”, explica.

Leia também:  Bloqueio de verbas não consegue mais conter aumento da dívida pública

PROJEÇÕES MANTIDAS

As projeções da Fenabrave se mantêm desde a última revisão, divulgada no início de agosto. De acordo com a entidade, se considerados e somados os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e implementos rodoviários, o ano de 2013 deverá apresentar crescimento de cerca de 1,53% no total.

Para automóveis e comerciais leves, a previsão da Fenabrave é chegar, ao final de 2013, com aumento de 1,03% diante dos resultados obtidos em 2012. Já os setores de caminhões, ônibus, implementos rodoviários e máquinas agrícolas têm boas perspectivas de crescimento para 2013. O setor de caminhões, por exemplo, deve alcançar 154.380 unidades este ano, numa elevação de 12,10% sobre 2012. O segmento de ônibus deve chegar a 13,40% de aumento no ano e o de tratores e máquinas agrícolas deverá crescer acima de 10% este ano.

Leia também:  Produção de petróleo e gás natural cresce no país em setembro

O segmento de motocicletas, que ainda passa por dificuldades, deve encerrar 2013 com queda de 8,6% sobre o ano passado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.