A seleção brasileira terá um grande desfalque na Copa América, de 21 a 28 de setembro, em Xalapa, no México. Uma das melhores jogadoras do mundo, a pivô Érika de Souza, do Atlanta Dream, irá disputar no mesmo período os playoffs da WNBA, que começam na quinta-feira (19) e vão até 16 de outubro. A Copa América classificará as três primeiras colocadas para o Mundial da Turquia, em 2014.

– Estou muito triste de não estar junto com as minhas companheiras em um campeonato tão importante, que definirá a nossa ida ao Mundial da Turquia. Gostaria muito de estar com elas nesse momento e ajudar no que estivesse ao meu alcance, como sempre fiz. Infelizmente, dessa vez não será possível sair daqui, pois nesta mesma época estarei disputando os playoffs pelo Atlanta Dream – disse a pivô que concorre ao prêmio de MVP (melhor jogadora) da temporada da WNBA, liga nacional de basquete americano, em comunicado à CBB.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

Érika destacou o trabalho realizado pelo técnico Zanon e sua confiança na conquista da vaga pela equipe brasileira.

– Acredito 100% no trabalho do Zanon e na força das jogadoras. Sei que esse grupo está unido e irá trazer a vaga que tanto queremos. Estarei sempre em contato com elas e, mesmo de longe, podem ter certeza que meu coração estará no México.

O técnico Luiz Augusto Zanon falou sobre a ausência de Érika, considerada uma das cinco melhores jogadoras do mundo pela FIBA.

– A minha maior alegria foi escutar da Érika que ela queria trabalhar comigo e colaborar com o projeto. Conversei com ela algumas vezes desde que assumi o comando da equipe e a respeito muito como atleta. Desde o início ela deixou claro que seria difícil poder defender o Brasil por causa da situação de sua equipe na WNBA, mas que queria muito estar com a gente. Entendemos já que a Érika é uma jogadora que faz falta a qualquer equipe do mundo. Ela manteve a conduta e deixou aberto que, em caso de eliminação nos playoffs, integraria a equipe no México – comentou Zanon.

Leia também:  Apresentador passa mal "ao vivo" em Lucas do Rio Verde

Fábio Jardine, agente de Érika, explicou como funciona a liberação de uma jogadora da WNBA para defender sua seleção nacional.

– Liberar uma jogadora nos playoffs da WNBA é um processo bastante complicado, mas que já conseguimos inúmeras vezes. A opção da Érika é sempre defender o Brasil, mas devido a quantidade de contusões no time do Atlanta e a total incompatibilidade dos calendários, infelizmente, tornaram inegociável para este ano a saída dela para defender a seleção brasileira – explicou Jardine.

A seleção brasileira já está em Xalapa, no México. Nesta quarta-feira (dia 18), as 12 jogadoras comandadas pelo técnico Zanon farão um jogo-treino contra a seleção de Cuba. A estreia na competição será no próximo sábado, às 20h30m (de Brasília), diante de Porto Rico, em duelo válido pelo Grupo B. Os dois primeiros colocados de cada grupo avançam para a semifinal. Os vencedores decidem o título, enquanto os perdedores brigam pela medalha de bronze e a última vaga para o Mundial.

Leia também:  União e Luve decidem o Estadual Sub-19
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.