Você tem que enfrentar mais uma reunião esta semana? O friozinho já está começando a descer por sua espinha?

Pare de se preocupar. O padre Vieira não conhecia a teoria da comunicação, não leu MacLuhan, mas foi o maior pregador do século XVII. Saiba que palavras sem exemplos são tiros sem bala atroam, mas não ferem. Não basta falar corretamente, é preciso saber comunicar-se. O falar bem pode gerar admiração pelo excelente aproveitamento da língua utilizada, pela demonstração de conhecimentos adquiridos. Por sua vez, dizer bem é interagir com o público alvo, é a união do processo de expressão e persuasão, é saber exprimir-se. Comunicar-se com eficácia é viabilizar relações autênticas pautadas na compreensão e no diálogo.

Leia também:  Trabalhadores da educação fazem paralisação por reajuste e reforma de unidades em Cuiabá

As respostas que possibilitam a administração racional do medo estão centradas em nós mesmos. Basta ter olhos para ver, coragem para sentir e vontade para mudar. O medo só pode ser vencido de um modo: ousando falar!

Estabeleça metas: por que comunicará? Defina com precisão, em uma frase, aonde quer chegar com a exposição e o que os ouvintes lucrarão com o seu discurso, a resposta que espera deles e o que pretende que absorvam.

Se tivermos um raciocínio bem estruturado, podemos aprender a dizer e a escrever bem. Quanto mais ativarmos nosso cérebro, formulando teses, rebatendo inferências, analisando fatos e hipóteses, realizando associações instigadoras, mais estaremos em pleno exercício da busca de um raciocínio mais lógico, preciso e criativo. Pense muito, escreva muito, para poder escolher e dizer melhor! Aprenda também que o corpo precisa viver a palavra e harmonizar-se com a mensagem. A linguagem do corpo deve enriquecer a comunicação oral. O desafio da linguagem corporal é criar um clima propício à sintonia e á força expressiva das palavras.

Leia também:  O Brasil é o meu país

Por melhores que sejam as técnicas orais de apresentação, o comunicador deverá utilizar-se de recursos audiovisuais para que as informações sejam assimiladas e retidas em um tempo menor e com maior propriedade. A visão ocupa um lugar de destaque como um dos sentidos mais eficientes para o processo de aprendizagem. O uso de ilustrações, gravuras, músicas, vídeos, torna as informações muito mais interessante.

Saiba que o medo é um sentimento natural. É preciso conhecê-lo e superá-lo, acreditando que, se você sabe pensar, pode aprender a comunicar-se melhor e merecer atenção pelo que diz, porque pensa para fazê-lo. Pense, planeje, prepare e só depois transmita.

 

Reinaldo do Carmo de Souza

Professor da Universidade de Cuiabá – UNIC pelo Programa de Expansão Universitário – PEU

Leia também:  Contrabando de cigarros paraguaios aumenta e provoca prejuízos à sociedade
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.