Mais de 17 mil estudantes classificados na primeira etapa da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) fazem, neste sábado (21), a segunda etapa da competição. A primeira fase foi no dia 15 de junho, onde mais de 200 mil alunos de escolas públicas e privadas de todo o país participaram, de acordo com a Secretaria da OBM. As provas finais ocorrerão nos dias 19 e 20 de outubro, em locais a serem definidos. A divulgação dos premiados com medalhas de ouro, prata e bronze, além de menções honrosas, está prevista para dezembro.

A olimpíada é feita anualmente em quatro níveis, de acordo com a escolaridade do aluno. O nível 1 para alunos matriculados no 6º e 7º ano do ensino fundamental, nível 2 para alunos do 8º e 9º ano, nível 3 para alunos matriculados em qualquer série do ensino médio e o nível universitário, para alunos que ainda não tenham concluído o curso superior, independente do curso e período.

Leia também:  Chefe de gabinete com carro oficial faz vídeo a mais de 210 km/h em SP

Para os níveis 1, 2 e 3, a competição é feita em três fases e, para o nível universitário, em dois. Coincidindo com a prova para os níveis fundamental e médio, se inicia a participação dos estudantes universitários nesta etapa. A prova terá duração de quatro horas e 30 minutos em todos os níveis e será aplicada nas instituições onde os competidores estudam, no período da manhã, às 8h, ou da tarde, às 14h. Os horários das provas devem ser confirmados com os professores responsáveis nas respectivas instituições de ensino.

Classificam-se para a última fase os estudantes que atingirem a pontuação mínima, segundo o critério a ser estabelecido pela Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática, com base nos resultados nacionais alcançados nas fases anteriores da olimpíada. O gabarito oficial será publicado na terça-feira (24), no portal da olimpíada. Os medalhistas serão convidados a participar da 17ª Semana Olímpica, em janeiro de 2014, evento que dá inicio ao processo de seleção para representar o país em competições internacionais de matemática. “A perspectiva de participação internacional é algo que chama muita atenção dos estudantes”, de acordo com Nelly Carvajal, da Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática.

Leia também:  Motorista deixa criança de 4 anos trancada dentro van escolar para ir em agência bancária

O projeto é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e tem o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

A OBM é feita desde 1979, com o intuito de estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar as equipes brasileiras que participam das competições internacionais de matemática, onde competem os melhores estudantes de cada país na área.

Leia também:  Justiça determina prazo de 60 dias para MEC definir valor gasto por aluno
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.