Foto: assessoria
Foto: assessoria

Após visita ao Rio Vermelho, na manhã desta segunda-feira (23), o coordenador da Defesa Civil de Rondonópolis, Erimar Bezerra, afirma que é preocupante o que a seca e a ação do ser humano estão fazendo com o recurso hídrico mais importante da cidade. Segundo Bezerra, o nível do rio atingiu a marca mais baixa registrada nos últimos 10 anos, 1,28 metros.

Erimar ressalta que apesar de alarmante, a situação deve ser melhorada a partir do dia 10 de outubro, quando chuvas mais contínuas devem atingir o Mato Grosso e a cabeceira do Rio. “Ainda pelos próximos 20 dias, historicamente temos chuvas ainda com pouco volume de água para mudar de imediato o nível do rio. Mas a marca é preocupante e vem piorando nos últimos anos, principalmente pelo pouco cuidado do cidadão com o meio ambiente”, critica.

Leia também:  Chuva deve cair ainda esta semana em Rondonópolis; diz Inpe

O coordenador avalia que mesmo com vários esforços em programas educativos em escolas, em empresas e até na mídia nacional a conscientização quanto ao não desperdício e os cuidados com a natureza parecem que ainda não têm mudado a rotina de homens e mulheres.

“Claro que o esperado para esta época do ano é que o nível do rio obviamente esteja baixo. Mas o aceitável, o mínimo teria de ser 1,75. Estamos colhendo frutos de assoreamentos, desmatamentos, construções e invasões em áreas de APP (Área de Preservação Permanente), outros tipos de poluição e principalmente a matança das nascentes, dos nossos córregos. São eles que abastecem o rio”, frisa Erimar.

Lembrando que o Rio Vermelho é responsável por mais de 50% do abastecimento de água de Rondonópolis, por meio de um centro de captação na Colina Verde, Erimar crê ser bem possível que o rodízio do fornecimento e a falta de água seja inevitável, principalmente pelos próximos dias. “Por mais que o Sanear estude perfurar poços artesianos e outras alternativas é fundamental e vai ser sempre o Rio Vermelho neste processo”, lembra.

Leia também:  18° GAC realiza exposição em comemorações à 'Semana do Soldado'

Para driblar esta situação momentânea, o coordenador da Defesa Civil insita as pessoas a assumirem pequenas mudanças em afazeres profissionais e domésticos. “Eliminar os vazamentos na instalação hidráulica (encanamento) da casa ou da empresa; reutilização da água sempre que for possível, principalmente para lavar calçada; tratar a água de piscinas ao invés de trocá-la; válvulas de descarga dos vasos sanitários bem reguladas e torneiras e chuveiros fechados, no momento em que se estiver escovando os dentes e se ensaboando no banho, são medidas que ajudam muito”, conclui.

Os casos de vazamento de água na rede de abastecimento na zona urbana da cidade devem ser comunicados ao Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis – Sanear, pelo telefone gratuito 0800.647.2442.

Leia também:  Acidentes na BR-163 registra queda de 20% em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.