Após meses de negociação, o Pacto da Concórdia, documento que rege as relações entre as equipes e as entidades que comandam a Fórmula 1, foi finalmente aprovado, nesta sexta. O acordo antigo havia expirado no fim de 2012 e, nesta temporada, divergências entre a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Formula One Management (FOM) e equipes atrasaram o fechamento de outro contrato. Contudo, o novo Pacto será válido até 2020.

– Podemos ficar orgulhoso com este contrato, que estabelece um trabalho mais efetivo por parte da FIA, que continua ansiosa para continuar garantindo as regras e segurança da F-1 – afirmava o presidente da FIA, Jean Todt, em comunicado emitido pela entidade.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

O novo compromisso garantirá à entidade maior participação sobre os lucros da Fórmula 1. Entre as medidas, há o repasse de 25 milhões de euros (cerca de R$ 75 milhões) pela FOM para a FIA, a elaboração de um novo conjunto de regras para a F-1, a formação de um grupo de estratégia e uma comissão esportiva mais “magra”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.