Foto: assessoria
Foto: assessoria

Os parlamentares, membros da CPI da Telefonia Móvel da AL, participaram hoje do 2º Seminário da Telefonia organizado pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos estaduais (Unale), em Vitória – Espírito Santo. O encontro tem como objetivo criar um novo marco regulatório para as telecomunicações.

Em seu pronunciamento, o presidente da CPI, deputado Ondanir Bortolini, Nininho, disse que a CPI de Mato Grosso ainda está no “meio do caminho”, se comparada às de outros estados, mas que já possui muitas provas da falta de responsabilidade das empresas com os consumidores. “Já temos documentos que relatam mais de 31 mil ações contra06 três operadoras do estado”. “Isso é muito, mas ainda falta a investigação de mais uma operadora,” afirma Nininho. “Vamos trabalhar incansavelmente para que essa CPI tenha resultados concretos,” frisa.

Leia também:  Rocambole de carne recheado, perfeito para dividir com os amigos

Nininho citou, também, o caso de que um único advogado já peticionou 900 pedidos de indenizações em um município que tem cerca de nove mil habitantes e teve êxito em mais de 800 dessas ações.

Por fim, o parlamentar reforçou que a CPI irá continuar investigando as denúncias de que cerca de R$ 350 milhões deixaram de ser repassados ao Estado e estão retidos por “apropriação indébita” pelas operadoras de telefonia móvel.

CPI ITINERANTE                                               

Na próxima semana, a CPI retoma o cronograma de viagens pelo interior do estado. Serão mais dez municípios visitados pela caravana: Cáceres, Rondonópolis, Tangará da Serra, Pontes e Lacerda, Juína, Sinop, Sorriso, Alta Floresta, Primavera do Leste e Barra do Garças, retornando, ao final, para Cuiabá e Várzea Grande.

Leia também:  Alto Araguaia | Polícia recupera materiais furtados e jovem é detida por receptação
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.