As vendas de materiais de construção caíram 1,5% no mês de agosto, na comparação com julho. Em relação a agosto de 2012, houve retração de 2%. No acumulado do ano, porém, há elevação de 2,5% nas vendas, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados, divulgados nesta terça-feira (3), são da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).

“Essa ligeira queda em agosto está dentro das previsões do setor, que ainda mantém um desempenho positivo no ano. Porém, devido aos índices apresentados ao longo do ano, nós estamos revisando a expectativa de crescimento para 2013, de 6,5% para 4,5% sobre o ano passado”, disse, em nota, o presidente da Anamaco, Cláudio Conz.

Leia também:  Cerca de 746 segurados têm benefícios do INSS cancelados em Mato Grosso

De acordo com o levantamento da Anamaco, todos os segmentos avaliados em agosto apresentaram ligeira queda de vendas, com exceção de cimentos (que cresceram 3%) e revestimentos e telhas (que apresentaram elevação de 2%).

De acordo com a entidade, em 2012 o setor registrou recorde de faturamento, com cerca de R$ 55 bilhões. Para manter o bom desempenho, a Anamaco estuda pedir ao governo federal a prorrogação da isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que deve terminar em dezembro.

“Estamos tentando reabrir o diálogo com o governo federal a fim de evitar que o IPI da cesta básica de material de construção volte a valer a partir de dezembro. Isso teria um impacto tremendo no desempenho do setor, já no início de 2014, com os preços sendo reajustados em torno de 8%”, disse Conz.

Leia também:  Confira as vagas de emprego desta segunda (04/09/17) em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.