O retrospecto do tricampeão Sebastian Vettel não deixa dúvida. Vai ser muito difícil impedir a conquista de seu quarto título mundial de Fórmula 1 em 2013. E quatro títulos consecutivos é façanha que só outro alemão conquistou: Michael Schumacher. No GP da Bélgica, Vettel deu um belo passeio e humilhou os adversários.

Este ano, Vettel venceu 5 corridas (chegando a 31 vitórias na carreira). Em segundo estão Fernando Alonso e Nico Rosberg com dois primeiros lugares. Lewis Hamilton e Kimi Räikkönen têm uma vitória cada. Depois da vitória em Spa, o favorito ao título aumentou a vantagem outra vez. Agora ele soma 197 pontos contra 151 de Fernando Alonso. Lewis Hamilton tem 139 pontos e Kimi Räikkönen soma 134. Os demais nem pensam no título de 2013.

Leia também:  União faz resultado e fica com título no sub-19

Na Bélgica, entretanto, a excelente corrida de Fernando Alonso deu um novo alento ao campeonato. Teria a Ferrari melhorado sua aerodinâmica ou foi apenas resultado da categoria de Fernando Alonso? Isso poderá ser respondido dentro de duas semanas, em Monza. Largando em um incômodo 9º lugar, Alonso terminou em 2º, na frente de Lewis Hamilton. E Felipe Massa, que saiu em 10º, chegou em 7º. E poderia ter ido além não fosse uma estranha pane eletrônica no carro em alguns momentos da corrida. Piloto sério e compenetrado, Alonso não comemorou o 2º lugar. Subiu e desceu do pódio com a cara feia, sentindo que a chance de conquistar seu terceiro título está mais distante. Mas com oito provas ainda pela frente, muita coisa pode acontecer. Outro resultado inesperado foi o 6º lugar de Jenson Button. Não pela classificação em si, mas porque o rendimento da McLaren foi bem superior ao das últimas corridas. Não fosse uma, talvez desnecessária, parada no box para a segunda troca de pneus, Button poderia ter ficado com uma posição melhor. Exatamente no momento em que discute a renovação de seu contrato para 2014.

Leia também:  Antigo Luthero vira cult e ganha lembrança especial do torcedor

A Mercedes foi bem em Spa. Hamilton cravou mais uma pole mas não teve fôlego para segurar Vettel bem no começo da corrida. Nico largou mais atrás e acabou em 4º. Quem sofreu o maior prejuízo foi Räikkönen que, com os freios superaquecidos, teve de abandonar a corrida, depois de pontuar em 26 provas consecutivas, um recorde absoluto na Fórmula 1.

No Mundial de Construtores, a Red Bull lidera absoluta com 312 pontos contra 235 da Mercedes e 216 da Ferrari.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.