Yelena Isinbayeva e Fabiana Murer. Duas atletas do primeiro escalão do salto com vara. Ter esses nomes no currículo mostra a importância do trabalho realizado pelo italiano Vincenzo Canali. O técnico, vindo da ginástica artística, desenvolve um trabalho de postura para aperfeiçoamento e prevenção de lesões com competidores do atletismo.

Durante uma clínica dada a alunos de ginástica na cidade de Praia Grande, no litoral de São Paulo, Canali falou ao GLOBOESPORTE.COM. Ele comentou a importância de uma boa postura no atletismo.

– A postura auxilia no atletismo porque é um esporte muito técnico. Claro que há muitos eventos no atletismo, mas se você pegar o salto, e especialmente, a corrida, a posição dos quadris e dos ombros, os músculos tem que trabalhar juntos. Como um carro, o motor e as rodas tem que trabalhar em conjunto. Sem isso, não é possível ele andar. Os atletas de alto rendimento tem um alto grau de lesões. Quando a dinâmica de movimento está em um nível alto e a postura não está boa, eles podem bater e lesionar algum lugar do corpo.

Leia também:  Sinopense ganha último torneio e cuiabano é campeão de tênis

O técnico italiano não poupou elogios as duas atletas. Ele ressaltou o comprometimento de ambas com os treinos, não se importando com o tipo de exercício ou o horário disponível para as atividades.

– Para mim é maravilhoso (trabalhar com elas). Eu comecei com a Yelena e com a Fabiana em 2004. São muitos anos e elas são muito profissionais. O que você disser, elas fazem. Elas não se preocupam se é difícil de fazer ou se precisam realizar o exercício às seis da manhã. Elas fazem ginástica porque sabem isso está conectado com o salto com vara. O treinador delas acredita na ginástica. Ele sabe que quando a posição do corpo muda, a técnica fica difícil. Para mim é um prazer trabalhar com elas. – comentou Canali, que deixou de trabalhar com Isinbayeva há dois anos, quando a atleta voltou para a Rússia.

Leia também:  1ª Paraolimpíada deve contar com 139 alunos em Rondonópolis

Vincenzo também falou sobre as diferenças entre as duas atletas. O treinador destacou a flexibilidade da russa e disse que a brasileira necessita de mais força na hora de finalizar o movimento do salto.

– Elas tem uma pequena diferença. Por um lado, Yelena é muito flexível, as articulações do braço quando ela começa a flexionar são muito fortes. Mas ela não é muito ativa com as articulações na hora da largada. Ela precisa usar a flexibilidade para jogar a força para o lado oposto. Fabiana é diferente porque ela é um pouco mais resistente e forte. Ela precisa ser flexivel no último ângulo quando você joga o corpo e quando você se estica. Mas todo muito tem algum talento e algum problema. Não tem nenhum atleta no mundo que tenha uma postura perfeita naturalmente.

Leia também:  União tem desafio diante do Luverdense em Lucas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.