Segundo os cientistas, a descoberta dos parasitas é importante, pois pode indicar onde vive e onde caça o peixe-remo, que raramente é visto perto da superfície e pode alcançar mais de 15 metros de comprimento.

A instrutora de ciência marinha Jasmine Santana levou um susto ao avistar a criatura no dia 13 de outubro no mar na região perto de Los Angeles. A jovem precisou da ajuda de mais 15 pessoas para conseguir arrastar o peixe para a costa.

O peixe, que normalmente vive a mais de 900 m de profundidade, e faz parte de um grupo de bichos que raramente são estudados, morreu de causas naturais.

Advertisements
Leia também:  Cerca de 600 pessoas ainda estão soterrados em tragédia de Serra Leoa

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.