O futuro duelo com o novo campeão dos leves do UFC, Anthony Pettis, virou questão de honra para José Aldo, atual detentor do cinturão dos penas da categoria. Nesta terça, o brasileiro disse que topa até subir de categoria para realizar o duelo.

Ambos chegaram a ter duelo marcado no UFC Rio disputado no último mês de agosto. Mas Pettis teve que deixar o card para realizar outro duelo, a disputa do cinturão dos leves com o então campeão Benson Henderson.

“Nunca escolhi um lutador. Quem colocam na minha frente eu passo por cima. Mas um nome que pela polêmica vale lutar, é o Pettis. Temos uma coisa a resolver. Ele é a pessoa certa para lutar hoje”, falou Aldo, ao responder qual a luta que mais desejaria hoje. “Muitos fãs falam, e esperamos sim essa luta. Por mim já teria saído, em qualquer peso, tanto no pena quanto no leve, eu vou lutar.”

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

Depois da vitória sobre Henderson, Pettis chegou a pedir duelo com Aldo. Mas o técnico do brasileiro, Dedé Pederneiras, disse que ele só acontecerá se for nos penas, como seria anteriormente. Aldo revelou nesta terça que topa subir e só depende de um aval de seu treinador e do chefão do UFC, Dana White, para que isso aconteça.

“Muitos falam de eu subir, eu já até pedi isso. Tem momento certo, o Dedé e o Dana não acharam certo ainda. Assim que eles acharem que devo subir, subo pro leve sem problemas.”

Aldo e Renan Barão, dono do cinturão interino dos galos, participaram nesta terça-feira de uma entrevista feita pelo público em evento aberto realizado um dia antes da edição de Barueri.

Leia também:  Cuiabá Arsenal faz vaquinha para viajar à semifinal no Nordeste

Superlutas

Tanto Aldo como Renan se disseram favoráveis à realização das chamadas Superlutas, que mesclam campeões de diferentes categorias se enfrentando para duelos de unificação.

Duelos como Anderson Silva x Georges Saint-Pierre ou Anderson Silva x Jon Jones sempre são especulados pela própria organização, mas jamais saem do papel.

Para Aldo, essas lutas é que vão marcar o nome de alguns lutadores na história. “Vejo com bons olhos as superlutas. Esse negócio de ficar se escondendo não dá, tem que se expor. Sou a favor sim. É igual em Olimpíadas, voce vê o Phelps ganhando em diferentes modalidades. Tento gravar meu nome e ser melhor”, falou.

Leia também:  Após ter um ano de altos e baixos Júnior Tavares não é certeza no São Paulo em 2018

“É interessante sim, dependendo do acordo que fizerem. O Aldo quer lutar na de cima, e eu também. Depende do atleta e do que o técnico quer. Eu acho legal. Luto nessa e se tiver que fazer superluta, faço sem problemas. Sou a favor também, estou junto com Aldo”, endossou Barão.

Apesar de serem favoráveis, eles disseram que não há chance de um enfrentar o outro por serem da mesma equipe. “Se o Renan subir pra minha eu subo pra outra”, falou Aldo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.