Anderson Silva e Chris Weidman cansaram de ver a cara um do outro no grande trabalho promocional do UFC 168 que está sendo feito pela organização. Em oito dias, eles e o presidente Dana White foram a sete cidades diferentes, incluindo Rio de Janeiro e São Paulo. E esse período pode ser só o começo da intensa convivência dos dois lutadores. Além das atividades na semana do evento, no fim de dezembro, em Las Vegas (EUA), eles podem ter de começar tudo de novo em caso de uma terceira luta. Se o brasileiro vencer a revanche, a trilogia imediata contra o americano é uma possibilidade, conforme admitiu Dana:

– Depende de como a luta vai ser. Posso te dizer o seguinte, e não sei como as pessoas no Brasil se sentem, mas em 13 anos… Pense no fim de ano que vamos ter. Tivemos Pettis x Henderson, que foi uma grande luta. Jones x Gustafsson foi inacreditável. Teremos Cain Velásquez x Junior dos Santos, Georges St-Pierre x Johny Hendricks, e acho que nunca estive tão empolgado para uma luta quanto estou para essa segunda entre Anderson Silva e Chris Weidman. Estou muito empolgado para essa luta – disse o chefão ao Combate.com.
No primeiro duelo, no UFC 162, Chris Weidman surpreendeu o mundo ao nocautear Anderson Silva no segundo round. O Spider recebeu muitas críticas dos fãs de MMA por causa das exageradas provocações na luta, mas garantiu que não vai mudar o estilo para a revanche.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.