A Banda Mais Bonita da Cidade, Bicicletas de Atalaia e outros nomes participam da comemoração do trabalho mais reverenciado do grupo que revelou Ney Matogrosso

A marca deixada por Ney Matogrosso, João Ricardo e Gerson Conrad com a criação do grupo Secos & Molhados continua a servir de referência artística a novos artistas. Há 40 anos, eles lançavam o clássico disco de estreia, “Secos & Molhados I”, um dos álbuns mais célebres da história da música brasileira.

Em coletânea, 13 bandas da nova geração de artistas brasileiros homenageiam o disco que ousou na mistura de MPB, rock, glam e psicodelia. No projeto, batizado de “Armazém 1973”, nomes como Nevilton, Bicicletas de Atalaia e A Banda Mais Bonita da Cidade.

Leia também:  Gosto quando dizem que sou caso de marketing': 20 minutos na presença de Anitta

Encaixados no contexto musical do pós-tropicalismo e com vivência na censura do período de ditadura, o disco “Secos & Molhados I” trazia em suas faixas poesias de autores como Vinícius de Moraes e Manoel Bandeira. Algumas músicas chegaram a se tornar símbolos da época, como “Rosa de Hiroshima”, escrita por Vinícius e musicada por Gerson Conrad, que serviu de hino aos pacifistas.

“Acho que está havendo uma revisitada natural da música brasileira hoje em dia. Todo mundo está querendo descobrir um pouco mais do passado”, conta ao iG Bruno Mattos, do Bicicletas de Atalaia, grupo que regravou a faixa “Mulher Barriguda”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.