Acidente a rotatória da Lions há cerca de duas semanas - Foto: Reprodução Facebook
Acidente a rotatória da Lions há cerca de duas semanas – Foto: Reprodução Facebook

Hoje (02), completa um mês que o micro revestimento vem sido aplicado nas ruas do centro de Rondonópolis, porém nenhuma das avenidas já ‘pintadas’ pelo recapeamento foi devidamente sinalizada e apesar dessa deficiência a fiscalização no trânsito da cidade não foi reforçada e os motoristas têm aproveitando para fazer “farra”.

Com isso, acidentes acontecem frequentemente, os motoristas ficam perdidos e os pedestres se arriscam entre os carros para atravessar avenidas que não possuem semáforos. Outro problema acontece quando alguns condutores ainda aproveitam para cometer imprudências, parando em local proibido e não respeitando a preferencial.

Uma dessas irregularidades aconteceu ontem (1) bem próxima a Secretaria de Trânsito, onde um veículo ficou estacionado em local proibido por mais de 30 minutos e não foi fiscalizado.

Leia também:  Conheça o “Mundo Geek” em Rondonópolis
O carro ficou estacionado por mais de 20 minutos, a placa acima mostra que é proibido parar e estacionar, além disso a Secretária de Trânsito fica a cerca de 300 metros do local - Foto: AGORA MT
O carro que ficou estacionado a cerca de 300m da Setrat- Foto: AGORA MT

De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito, a sinalização deve estar bem visível durante o dia e à noite, além de que a prefeitura não pode fazer obras de recapeamento e liberar a via sem sinalização.

A obra do micro revestimento central é executada pelo Executivo, porém é um recurso do Governo.

SINALIZAÇÃO
De acordo com o secretário Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat), Argemiro Ferreira (PSDB), para começar a sinalização é necessário aguardar o período de ‘cura’ do revestimento.

“Depois de aplicado, é necessário esperar o tempo correto de secagem, cerca de 30 dias. Além disso, estamos finalizando um processo administrativo que contrata uma empresa para fazer a sinalização, acredito que em oito dias estaremos dando início”, argumenta.

Leia também:  Projeto reúne rede de proteção integral nas escolas

FISCALIZAÇÃO
A fiscalização segundo Argemiro é periódica, mas ele apontou que o efetivo é pouco para os trabalhos que devem ser acompanhados em Rondonópolis.

“Hoje temos cerca de 15 pessoas trabalhando diariamente para fiscalizar carros estacionados em locais proibidos, caminhões no perímetro central, caminhões em bairros, auxílio a idosos, portadores de deficiências além de escolas”, finaliza Argemiro.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.