A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou hoje (2) que o Índice de Medo do Desemprego aumentou 1,7% em setembro na comparação com junho. É a segunda alta consecutiva do indicador, de acordo com a pesquisa trimestral Termômetros da Sociedade Brasileira.

Para a CNI, o resultado repercute o desempenho da economia, “que não dá sinais de crescimento mais robusto”. O índice, no entanto, continua em um patamar muito baixo e está 3,7% menor do que o de setembro do ano passado.

O levantamento indica que o medo do desemprego é maior entre as pessoas com renda até um salário mínimo. Nessa faixa da população, de acordo com a pesquisa, o índice aumentou 4,7% em setembro na comparação com junho.

Leia também:  Vendas de veículos aumentam 1,9% em julho de 2017

O Índice de Satisfação com a Vida ficou estável em setembro, com uma pequena elevação de 0,3% na mesma comparação, interrompendo a sequência de três quedas.

A CNI informou também que, para as pessoas com renda entre cinco e dez salários mínimos, a satisfação com a vida aumentou 4,1%. Para quem ganha menos de um salário mínimo, o índice caiu 2,1%.

A pesquisa Termômetros da Sociedade Brasileira ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios no período de 14 a 17 de setembro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.