Reduto de surfistas no litoral fluminense, a pequena Saquarema é uma cidade marcada pela tranquilidade. Essa característica é um dos pontos fortes do Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), inaugurado há 10 anos. Nos últimos meses, a cidade localizada a 100km do Rio de Janeiro se tornou um destino frequente na vida da musa Mari Paraíba.

Após decidir retornar ao esporte e trocar a quadra pelo vôlei de praia, a beldade de 27 anos ainda aprende a conviver com o “isolamento” exigido no Aryzão. Concentrada nos treinos ao lado da parceira Natasha Valente, a musa precisou dar os parabéns ao namorado Riad, aniversariante da semana, por meio das redes sociais. A jogadora acredita que, apesar disso, essa distância é positiva para a nova carreira.

Leia também:  Atletas sub 16 de Rondonópolis participam de competição em Cuiabá

– Quando eu estou no Rio, treino na Urca, de segunda a sexta-feira, às vezes até sábado. Aqui em Saquarema, com a seleção, a rotina é ainda mais pesada. A gente praticamente só treina, come e dorme. Não tem nenhuma distração. E isso é bom, por um lado. O intuito aqui é exclusivamente se concentrar e respirar voleibol 24 horas por dia. Isso está me ajudando muito a evoluir – disse a jogadora.

Apesar de ainda estar no início de sua experiência com o vôlei de praia, Mari Paraíba já consegue notar progressos em relação ao domínio dos fundamentos da modalidade. Além de perceber uma mudança no corpo, que ganhou mais massa muscular por causa do esforço maior exigido pela areia, a musa aperfeiçoou o saque e a recepção. No entanto, ela ainda sente um pouco de dificuldade com o levantamento.

Leia também:  Diretoria do União decide manter 15 jogadores que disputaram a Série D

– Eu já comecei a jogar o Nacional, e percebo uma grande evolução a cada partida. Mas com certeza ainda tenho muito para aprender e evoluir. Isso é só com o tempo mesmo, com os treinos e jogos. É preciso ter um pouco de paciência. Ainda tenho que melhorar no levantamento, principalmente quando está ventando. É o fundamento mais difícil – avaliou Mari.

Após a formação da dupla com Natasha Valente, Mari Paraíba já disputou duas etapas da temporada 2013/2014 do Circuito Nacional, competição que funciona como preparação para o Circuito Brasileiro, principal torneio de vôlei de praia do país. Além disso, a musa de Campina Grande defendeu o Brasil em alguns jogos-exibição. No último fim de semana, ela integrou o quarteto brasileiro que derrotou a Argentina no terceiro jogo do Desafio 4 x 4 entre os dois países. Na Praia da Graciosa, em Palmas, no Tocantins, Mari jogou ao lado de Harley, Fábio Luiz e Thaís.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.