O médico Jorge Lafetá é o 5º – e mais novo secretário de Saúde de Mato Grosso. Mauri Rodrigues tentou de todas as formas resistir a pressão para deixar o cargo, inclusive ‘se escondendo’ em Sinop, cidade onde reside, mas após conversa com o governador entendeu que sua permanência no cargo só traria desgaste ao governador Silval Barbosa (PMDB).

Mauri pediu demissão do cargo na noite desta quarta-feira (31). O ex-gestor da pasta já estava afastado da função por decisão judicial, mas havia recuperado o comando na terça-feira (30). Contudo, pediu exoneração no final da tarde, após verificar que inclusive seus aliados o estavam pressionando para deixar o cargo.

Nos bastidores se comenta que Mauri permanecerá no governo. O secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf avaliou que a permanência de Mauri não irá desgastar a imagem de Silval. Mauri foi vítima de ‘fogo amigo’ do Partido Progressista (PP) e do caos instalado na Saúde do Estado, desde a gestão de Pedro Henry, que implantou as polêmicas Organizações Sociais de Saúde (OSS).

Leia também:  Sem alternativa

No dia 10 de outubro, o juiz Luiz Aparecido Bertolucci pediu o afastamento imediato de Mauri Rodrigues sob pena de multa diária de R$20 mil. Contudo, a decisão não chegou a ser cumprida e nesta quarta-feira (30), o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ/MT) se posicionou sobre o caso, cassando a decisão que pedia o seu afastamento, alegando que a Saúde Estadual poderia sofrer com deliberação de Bertolucci.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.