O complexo olímpico de Deodoro, onde serão realizadas várias modalidades nas Olimpíadas de 2016, é a principal preocupação para os Jogos do Rio de Janeiro, segundo o prefeito Eduardo Paes, que previu a entrega do local em cima da hora. O projeto está atrasado e já foi alvo de cobranças de representantes do COI (Comitê Olímpico Internacional), que vêm frequentemente à cidade para acompanhar o andamento da preparação do evento.

– Meu sinal vermelho é com Deodoro. Estamos atentos e não podemos dar bobeada – disse Paes a jornalistas nesta terça-feira, após uma palestra sobre infraestrutura em um hotel em Copacabana.

A construção do complexo olímpico de Deodoro já trocou de mãos mais de uma vez. Antes seria obrigação do governo federal, depois passou para a coordenação do Estado e, finalmente, está sendo conduzido pela prefeitura.

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez

– Pegamos esse compromisso há dois meses e ali há um atraso e um grande desafio – afirmou o prefeito.

Em Deodoro, serão disputadas modalidades como pentatlo moderno, hipismo, tiro, ciclismo, entre outras. Apesar do reconhecido atraso, o prefeito do Rio garante que o equipamento olímpico não corre o risco de ficar de fora dos Jogos de 2016 e de ser entregue com grandes pendências.

– Nós vamos entregar em cima do laço, mas vamos entregar – disse Paes.

Ele lembrou que o projeto em Deodoro é mais simples que outros equipamentos destinados aos Jogos, como no caso do Parque Olímpico, o que facilita a entrega da obra, mesmo que ela esteja começando com atraso.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

O prefeito revelou que os projetos executivos da obra ainda estão sendo executados para que a obra seja iniciada.

– Meu deadline é a Olimpíada – finalizou o prefeito.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.