O deputado estadual Dilma Dal Bosco (DEM), apresentou o projeto de Lei nº 351/2013 que proíbe a fabricação, venda a comercialização de armas de brinquedo em todo estado de Mato Grosso.

A proibição inclui a fabricação de brinquedos que disparem balas, bolinhas, espumas, luzes a lazer e assemelhados que produzam sons ou projetem quaisquer substâncias que permitam que sua associação seja vista como uma arma de fogo ou produzam o mesmo efeito.

A intenção é buscar os conceitos que fundamentam a cultura de paz, que estão relacionados com os princípios e metodologias de prevenção e resolução pacífica de conflitos, educando a criança para o ato solidário e ajudando a construir meios não violentos de solução de conflitos como o principal ponto de partida para a construção da paz.

Leia também:  Hospital de Câncer de MT realiza 1° leilão inteiramente online

A diretora técnica da ONU (Organização das Nações Unidas) no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto alerta que “no mundo interativo, tudo é questão de conscientização, mobilização, educação, prevenção e informação de todos os níveis sociais, em todos os países”.

Em sua justificativa o deputado diz que substituir brinquedos focados em objetivos de destruição e eliminação por atividades de caráter construtivo e de agregação social é uma medida factível, comprovadamente capaz de contribuir para gerar ambientes e convivências mais saudáveis e respeitosas, e por isso, é providência necessária e urgente.

“A medida também contribuirá para evitar que armas de brinquedos continuem a ser utilizadas em crimes, representando assim, um forte instrumento de prevenção da violência e de sustentação do processo de fortalecimento do Estatuto do Desarmamento (Lei Federal nº 10.826). Ao mesmo tempo coloca em campo o Tema Social da Copa de 2014 “ por um mundo sem armas, sem drogas, sem violência e sem racismo,” concluiu o deputado.

Leia também:  Cuiabá | Presépio teatral é inaugurado com peças gratuitas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.