O ex-prefeito de Rondonópolis Adilton Sachetti deixou na última sexta-feira (5) o Partido Democrático Trabalhista (PDT) para se filiar no Partido Socialista Brasileiro (PSB). Com essa alteração o projeto do senador Pedro Taques (PDT) de buscar a eleição pelo governo estadual começa a tomar forma e ganhar força.

Com o fim do período de mudança de Partido, a chapa de Taques pode ficar definida com Adilton Sachetti como vice e Eraí Maggi, recém filiado ao PP, como o candidato ao Senado. A agremiação também deve ter o apoio do senador Blairo Maggi (PR).

Apesar de especulações do Partido dos Trabalhadores fazer parte dessa chapa com o ex-vereador, Lúdio Cabral, como candidato ao Senado, isso pode não ser possível, já que esbarra na aliança do PDT e PSBD em Mato Grosso que tem como palanque para o pré-candidato a presidência Aécio Neves (PSDB).

Leia também:  Silval pode virar pastor evangélico
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.