Em entrevista coletiva após o UFC 166, Dana White disse que o evento foi o melhor da história da organização. Lutas emocionantes, nocautes impressionantes e muita vontade de lutar demonstrada por alguns dos atletas, mesmo com a derrota iminente, fizeram da noite em Houston (EUA) um capítulo à parte nos 20 anos do Ultimate.

Muito do sucesso do UFC 166 pode ser medido pelas marcas alcançadas pelos lutadores que participaram do evento, como mostrou o site “MMAjunkie” com dados do “Fightmetric”, empresa responsável pelas estatísticas do Ultimate. A começar pela estrela da noite, Cain Velásquez. O americano de ascendência mexicana manteve o título dos pesos-pesados e, ao passar por Junior Cigano, chegou ao seu nono nocaute em lutas na organização. Recorde na categoria.

Leia também:  Jogador revelado pelo REC marca contra o Flamengo

Contando todas as divisões, Velásquez está em terceiro lugar em nocautes aplicados, empatado com Rich Franklin e Vitor Belfort e atrás apenas de Chuck Liddell (dez) e Anderson Silva (11). Velásquez também chegou a 1.257 golpes aplicados no UFC, o que é mais um recorde na categoria. E se juntou a Georges St-Pierre como um dos dois únicos lutadores que desferiram 200 ou mais golpes em três duelos diferentes.

A luta entre o americano e Junior Cigano também teve outra curiosidade. Encerrada aos 3m09s do quinto round, ela passou a ser a que terminou mais tarde na história da organização – sem contar, é claro, os combates de cinco rounds que foram para a decisão dos jurados.

Leia também:  Cuiabá, Sinop e Sorriso lideram ranking estadual de tênis de MT

Roy Nelson, duro como rocha

Ainda no peso-pesado, Roy Nelson mostrou mais uma vez como é difícil nocauteá-lo. Com a luta contra Daniel Cormier, ele chegou a 511 golpes absorvidos no UFC sem ser nocauteado, o que também é um recorde na categoria. Ele é o único lutador na história dos pesos-pesados do UFC que perdeu cinco lutas por pontos.

Já Gabriel Napão, algoz de Shawn Jordan no sábado, ganhou pela 11ª vez por nocaute ou finalização dentro do Ultimate, se juntando a Frank Mir como o maior na história dos pesos-pesados do UFC neste quesito.

Sanchez gosta de lutar no chão

Passando pelo peso-leve, Diego Sanchez, campeão do TUF 1 e um dos destaques do UFC 166 mesmo sendo derrotado por Gilber Melendez (assista ao lado), atingiu a marca de 133 tentativas de quedas em sua carreira no Ultimate. Ele iguala a Clay Guida no recorde deste quesito.

Leia também:  Cuiabá vence Luverdense e se classifica para semifinal no sub-17

Quem não gostou muito da marca conquistada no sábado foi Dustin Pague. Ele se tornou o único lutador do UFC com cinco derrotas no peso-galo.
Para encerrar, as mulheres. Jessica Eye e Sarah Kaufman distribuíram ao todo 152 golpes significativos no confronto entre elas em Houston. O número é quase o dobro do que o recorde anterior, alcançado por Alexis Davis e Rosi Sexton, com 78.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.