Marilu de Jesus (mãe do Kaic), Angélica Alves (irmã de Wilsson) e os Pais e parentes de Luiz Henrique - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Marilu de Jesus (mãe do Kaic), Angélica Alves (irmã de Wilsson) e os Pais e parentes de Luiz Henrique – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

O comandante do 5º BPM, major Sandro Barbosa, disse por volta das 10h30 de hoje (24) que o jovem Kaic Oliveira Fascini, 20 anos, desaparecido há 10 dias, seria preso na ‘Operação Ad Sumus’ do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), deflagrada na manhã de hoje (24) em Rondonópolis. (Leia Aqui).

“A possibilidade que ele tenha ficado sabendo da operação é muito remota, mas nós não descartamos. Também acreditamos na hipótese que ele tenha fugido ou já esteja morto”, diz.

Ainda conforme o major Sandro, Kaic tinha passagens por homicídio e roubos e estava sendo investigado por tráfico de drogas. A Polícia investiga os outros meninos e não descartam a possibilidade de que eles também estejam envolvidos em crimes.

Pouco antes, familiares dos três jovens desaparecidos desde o último dia 14 (saiba mais aqui), disseram na manhã de hoje (24), que os jovens foram vistos pela última vez na noite do dia 14 em Primavera do Leste. Kaic Oliveira Fascini, 20 anos, Luís Henrique Borges dos Santos, 19 anos e Wilson Alves Gonçalves, 23 anos, teriam jantado na casa da tia de Kaic e retornado para Rondonópolis.

Próximo a Poxóreu, Kaic ainda avisou o primo, via ‘Watsapp’, que estaria passando pela cidade. Na noite do sumiço, ambos os jovens não disseram as famílias para onde iriam.

Os parentes dos garotos afirmaram que eles não tinham envolvimentos com ações criminosas e que eram trabalhadores. Os familiares também não sabiam das amizades entre os desaparecidos.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.