O réu Edvaldo Alves Cirino, 36 anos, acusado de matar o professor Marcos Júlio Ferreira Paiva, 36 anos, em 2008, deverá ser julgado nesta quinta-feira (21) no Tribunal do Júri de Rondonópolis.

De acordo com a Polícia Judiciária Civil, em setembro de 2008 o suspeito e a ex-mulher dele foram presos após um mandado de prisão expedido pela 2ª Vara Criminal da comarca de Rondonópolis.

O CRIME

A vítima foi assassinada com dois disparos de arma de fogo, na própria residência, no Residencial Azaléia.

No dia do crime o suspeito teria saído pelos fundos da casa numa motocicleta e estaria usando uma jaqueta escura. Nos cumprimentos das ordens judiciais foram apreendidos três jaquetas pretas e uma motocicleta. A arma do crime não foi localizada.

Leia também:  Dupla é presa por roubo a agência dos Correios de Itiquira

Conforme ao polícia, a vítima estava mantendo um relacionamento amoroso com Edvaldo, e este teria sido um dos motivos da mulher do suspeito ter separado dele. Edvaldo também estava explorando financeiramente a vítima com diversas cobranças.

Edvaldo é apontado como sendo o executor dos disparos, pois uma semana antes do crime esteve na casa da mãe de Marcos Júlio onde teria pedido dinheiro e discutido com ele.

Ainda segundo a polícia na época, um dos pontos-chave da investigação seria a coação de uma suposta testemunha que estaria sendo usada com álibi do acusado. Em depoimento, ela afirmou à polícia que na noite do crime estava com Edvaldo, mas, posteriormente, procurou a delegacia e corrigiu a declaração. Na verdade teria sido orientada por Edvaldo a declarar este álibi caso fosse chamada na delegacia. Conforme a testemunha, Edvaldo tinha sido testemunha em um acidente ocorrido com ela e por isso teria sido “obrigada” a fazer a declaração.

Leia também:  Várzea Grande | Polícia Civil recupera veículo e prende autor de furto
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.