Técnicos durante a visita em Alto Araguaia - Foto: assessoria
Técnicos durante a visita em Alto Araguaia – Foto: assessoria

A implantação de uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Alto Araguaia (415 km de Cuiabá) teve o último passo dado na sexta-feira (08/11) com a visita “in-loco” de técnicos do órgão ao município. O objetivo foi conhecer a área de 76 hectares onde vai funcionar a estação experimental voltada a estudos em terreno arenoso na região.

Com a visita dos técnicos da Embrapa e aprovação da área o município poderá, num breve espaço de tempo, iniciar o processo de implantação da primeira Unidade de Referência Tecnológica da região Sul. Em Mato Grosso existem nove unidades e o município de Alto Araguaia passa a sediar a décima URT da Embrapa, tornando-se uma grande vitrine para toda região com estudos voltados para solo de textura arenosa.

“Estava faltando uma URT aqui na região Sul do Estado. É uma região importante, principalmente aqui mais ao Sul onde está o município de Alto Araguaia em que predomina um solo de textura arenosa, de difícil manejo e naturalmente de fertilidade baixa. É importante montarmos uma URT para otimizar a produção em solo desfavorável. Precisamos buscar alternativas junto com a parceria local para fomentar a produção nestas condições. Esse é o grande objetivo do trabalho”, disse Flávio Jesus Wruck, pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão. Além dele, também estiveram no município Bruno Souza Lemos, da Embrapa Produtos e Mercado, do município de Rondonópolis, e ainda Diego Barbosa Alves Antônio, analista da Embrapa Agrossilvipastoril.

VITRINE

Com a implantação da URT, Alto Araguaia torna-se uma vitrine no Sul de Mato Grosso, pois será o primeiro município da região a contar com a estação experimental da Embrapa. “A ideia é ser exemplo, modelo para região Sul do Estado e para divisa de Goiás, para aqueles produtores que tem em suas propriedades solos e clima em condições parecidas com o de Alto Araguaia. Ficamos satisfeitos com o que vimos em relação à área. Vamos agora fazer o projeto para quem sabe iniciamos ainda neste ano agrícola a implantação dos sistemas”, ressaltou Wruck.

Leia também:  Itiquira | MPE realiza solenidade de encerramento do Projeto João Cidadão nesta terça-feira

A implantação de uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Alto Araguaia (415 km de Cuiabá) teve o último passo dado na sexta-feira (08/11) com a visita “in-loco” de técnicos do órgão ao município. O objetivo foi conhecer a área de 76 hectares onde vai funcionar a estação experimental voltada a estudos em terreno arenoso na região. 

Com a visita dos técnicos da Embrapa e aprovação da área o município poderá, num breve espaço de tempo, iniciar o processo de implantação da primeira Unidade de Referência Tecnológica da região Sul. Em Mato Grosso existem nove unidades e o município de Alto Araguaia passa a sediar a décima URT da Embrapa, tornando-se uma grande vitrine para toda região com estudos voltados para solo de textura arenosa.

“Estava faltando uma URT aqui na região Sul do Estado. É uma região importante, principalmente aqui mais ao Sul onde está o município de Alto Araguaia em que predomina um solo de textura arenosa, de difícil manejo e naturalmente de fertilidade baixa. É importante montarmos uma URT para otimizar a produção em solo desfavorável. Precisamos buscar alternativas junto com a parceria local para fomentar a produção nestas condições. Esse é o grande objetivo do trabalho”, disse Flávio Jesus Wruck, pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão. Além dele, também estiveram no município Bruno Souza Lemos, da Embrapa Produtos e Mercado, do município de Rondonópolis, e ainda Diego Barbosa Alves Antônio, analista da Embrapa Agrossilvipastoril.

VITRINE

Com a implantação da URT, Alto Araguaia torna-se uma vitrine no Sul de Mato Grosso, pois será o primeiro município da região a contar com a estação experimental da Embrapa. “A ideia é ser exemplo, modelo para região Sul do Estado e para divisa de Goiás, para aqueles produtores que tem em suas propriedades solos e clima em condições parecidas com o de Alto Araguaia. Ficamos satisfeitos com o que vimos em relação à área. Vamos agora fazer o projeto para quem sabe iniciamos ainda neste ano agrícola a implantação dos sistemas”, ressaltou Wruck.

Leia também:  Nova Mutum | Abril fecha com saldo negativo em geração de emprego

A atuação do prefeito Maia Neto (PR) e da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEMAPA) na figura do secretário Dimas Gomes Neto, foi muito importante para que o município de Alto Araguaia fosse contemplado com a estação experimental da Embrapa. As tratativas começam no início de 2013. A consolidação do projeto deu-se com a doação da área feita pelo produtor José de Laurentiz Neto ao município. Na ocasião ele foi representado por Benur Carlos Agostini. A unidade vai integrar atividades agrícolas, pecuárias e florestais em sua área.

“A Embrapa é muito bem vinda ao nosso município porque temos um sério problema de solo arenoso na nossa região. Nossa administração não mediu esforços e o que for preciso, dentro da legalidade, será feito para que esta estação torne-se cada vez mais forte e beneficie os produtores locais”, explicou o prefeito Maia Neto, que ainda na sexta-feira recebeu a equipe de técnicos da Embrapa em seu gabinete.

Na área devem ser implantados sete projetos: floresta com pastagem para gado de corte, floresta com pastagem para gado de leite, floresta com pastagem para ovinos e caprinos, floresta nativa, floresta e biomassa, floresta com lavoura e floresta com produção de biodiesel. O projeto em Alto Araguaia será uma das primeiras iniciativas em pesquisas em solo arenoso característico na região.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Dimas Gomes Neto, explicou que o projeto em Alto Araguaia vai crescer gradativamente. A proposta inicial é de implantar a URT em etapas. “Estamos consolidando a unidade da Embrapa em Alto Araguaia. É um marco para o município. Quem ganha é toda região que tem solo arenoso. Toda classe de produtores será atendida”, afirmou o secretário. O próximo passo agora será obtenção da licença ambiental e a limpeza da área.

Leia também:  Varzea Grande | PM apreende 244 quilos de maconha e prende duas mulheres

(PR) e da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEMAPA) na figura do secretário Dimas Gomes Neto, foi muito importante para que o município de Alto Araguaia fosse contemplado com a estação experimental da Embrapa. As tratativas começam no início de 2013. A consolidação do projeto deu-se com a doação da área feita pelo produtor José de Laurentiz Neto ao município. Na ocasião ele foi representado por Benur Carlos Agostini. A unidade vai integrar atividades agrícolas, pecuárias e florestais em sua área.

“A Embrapa é muito bem vinda ao nosso município porque temos um sério problema de solo arenoso na nossa região. Nossa administração não mediu esforços e o que for preciso, dentro da legalidade, será feito para que esta estação torne-se cada vez mais forte e beneficie os produtores locais”, explicou o prefeito Maia Neto, que ainda na sexta-feira recebeu a equipe de técnicos da Embrapa em seu gabinete.

Na área devem ser implantados sete projetos: floresta com pastagem para gado de corte, floresta com pastagem para gado de leite, floresta com pastagem para ovinos e caprinos, floresta nativa, floresta e biomassa, floresta com lavoura e floresta com produção de biodiesel. O projeto em Alto Araguaia será uma das primeiras iniciativas em pesquisas em solo arenoso característico na região.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Dimas Gomes Neto, explicou que o projeto em Alto Araguaia vai crescer gradativamente. A proposta inicial é de implantar a URT em etapas. “Estamos consolidando a unidade da Embrapa em Alto Araguaia. É um marco para o município. Quem ganha é toda região que tem solo arenoso. Toda classe de produtores será atendida”, afirmou o secretário. O próximo passo agora será obtenção da licença ambiental e a limpeza da área.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.