O Brasil não se abalou com o apoio da torcida local e bateu o Japão por 3 sets a 0 (25/17, 25/23 e 25/18), em Tóquio, em partida válida pela terceira rodada da Copa dos Campeões. Com o líbero Mário Jr. se destacando no setor defensivo e as boas investidas de Maurício, Wallace e Lipe, que ganhou a chance como titular, a equipe de Bernardinho fez um ótimo primeiro set, cochilou no segundo e não teve dificuldade no terceiro para se manter na liderança da competição de forma invicta, com nove pontos conquistados. O Japão do técnico americano Gary Sato ainda não venceu e, sem ponto algum, segue na última colocação.

– Foi um bom jogo. Começamos fortes e bem taticamente. Eles jogaram melhor no segundo set e colocaram pressão, e cometemos alguns erros no ataque. Eu particularmente gosto da intensidade que estamos jogando a competição. Podemos não ter tanto talento como no passado, mas a intensidade é boa. Estamos jogando do jeito brasileiro. Amanhã (sábado) será um grande teste para nós contra a Rússia – disse Bernardinho.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

O próximo adversário brasileiro será a potente Rússia, que apesar de ter perdido o primeiro jogo para a Itália, por 3 sets a 1, se recuperou sem perder nenhum set diante de Japão e Irã, alcançando a vice-liderança da Copa, com seis pontos. O duelo acontece neste sábado, às 5h (de Brasília), em Tóquio, com transmissão do SporTV.

Duelo com momentos opostos

Apoiados por um ginásio lotado, o Japão procurou esquecer que do outro lado da rede estava a equipe líder da Copa dos Campeões. Logo começou explorando a velocidade de Matsumoto e Fukuzawa, mas o Brasil, tranquilo, achou seu ritmo de jogo e abriu 5 a 2 no primeiro set. A seleção era beneficiada pelas falhas do Japão. Quando o anfitrião esboçava uma reação aproveitando a vibração da torcida, o Brasil não perdoava com Maurício, Sidão e Lipe. Sem dificuldades e sustos, fechou o set em 25 a 17.

Leia também:  Colorado perde e precisa reverter diferença de dois gols

Explorando os bons passes de Bruninho, o ponteiro Wallace e o central Lucão trataram de colocar o Brasil na frente no início do segundo set. Sem falhas, a equipe de Bernardinho abriu 6 a 2. O técnico Gary Sato buscava achar formas de parar a seleção, e o Japão passou a explorar bem os contra-ataques e o bloqueio verde e amarelo. A seleção cochilou, e o empate veio com Koshikawa aplicando um belo ace, empolgando a torcida japonesa: 15 a 15. O Brasil sentiu o golpe, e os donos da casa não descolaram mais do placar. Com 23 a 23 no placar, Bernardinho pediu tempo. A conversa deu certo, e o Brasil buscou forças, principalmente com a cobertura defensiva de Éder, para fechar o set em 25 a 23.

Precisando vencer no terceiro set para se manter viva no duelo, a equipe de Gary Sato voltou para a quadra com vontade. O Brasil respondia, mas também cometia falhas na recepção, após os bons saques japoneses. Após igualdade nos minutos iniciais, a seleção voltou a abrir vantagem no jogo com os bloqueios de Lucão e Maurício: 11 a 8. Apesar da luta do Japão, a seleção e Bernardinho manteve uma vantagem confortável até finalizar o jogo em 25 a 18.

Leia também:  União faz resultado e fica com título no sub-19
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.